Fevereiro de 2023: qual planeta está ao lado da Lua hoje à noite?

~10 min
Moon-Mars Conjunction February 2023

Em fevereiro de 2023, a Lua se encontra com Vênus, Júpiter e Marte no céu. Saiba neste artigo qual planeta está mais próximo da Lua.

Conteúdo

O que é o ponto ao lado da Lua hoje à noite?

De 1º a 7 de fevereiro de 2023, a Lua se deslocará gradualmente da constelação de Gêmeos para Leão. Portanto, as estrelas mais brilhantes perto do nosso satélite natural serão primeiro Castor e Pólux de Gêmeos e, depois, Régulo de Leão. O planeta mais brilhante nas proximidades é Marte. Para ter certeza de qual objeto celeste você está olhando, use o aplicativo Sky Tonight. Agora, vamos examinar melhor os planetas perto da Lua este mês.

Como os astrônomos chamam a aproximação da Lua ao planeta?

Neste artigo, você encontrará vários tipos de eventos celestes. Todos eles envolvem as posições relativas da Lua e objetos celestes e ocorrem próximos uns dos outros no tempo. No entanto, eles diferem em detalhes. Confira o que cada um significa.

Aproximação mais estreita (apulso)

A aproximação mais estreita ou apulso acontece quando dois objetos celestes têm a menor distância aparente conforme vista da Terra. Para a Lua e os planetas, o apulso geralmente ocorre perto da conjunção.

Conjunção

A conjunção ocorre quando dois objetos celestes têm a mesma ascensão reta ou longitude eclíptica aparente no céu. Na linguagem cotidiana, os termos “conjunção” e “aproximação mais estreita” costumam ser usados de forma intercambiável. No entanto, a conjunção tem um significado mais técnico e não ocorre necessariamente com todos os apulsos.

Conjunções Lua-planeta ocorrem com frequência. Uma vez a cada 27,3 dias, nosso satélite natural passa por uma parte estreita do céu centrada na eclíptica e se encontra com planetas. Conjunções planetárias são menos frequentes; você pode aprender mais sobre elas no nosso artigo separado.

Ocultação

A ocultação ocorre quando um corpo celeste com um diâmetro aparente maior passa na frente de um corpo com um diâmetro aparente menor; por exemplo, quando a Lua passa na frente de uma estrela ou planeta. A ocultação do Sol pela Lua é chamada de eclipse solar. Cada ocultação lunar só é visível de algumas partes da Terra. Isso porque a posição exata da Lua no céu varia em até 2° em locais diferentes.

Observações

Como identificar planetas próximos da Lua?

Confira algumas coisas a ter em mente para fazer observações bem-sucedidas.

  1. Você pode deixar passar o momento exato da conjunção ou aproximação mais estreita, mas não se preocupe! Mesmo antes ou depois do momento exato do evento, os objetos permanecerão relativamente próximos, e isso também vale a pena observar.

  2. Dependendo da distância angular entre os objetos, alguns eventos devem ser vistos com um telescópio e outros, com binóculos. Em geral, um bom binóculo de 10×50 proporciona um campo de visão de 6-7°; para telescópios, esse valor varia — pode ser inferior a 1°. Você mesmo pode calcular o campo de visão do seu equipamento ótico. E, claro, você também pode observar um evento a olho nu.

  3. Quando a Lua está perto da sua fase cheia, ela ofusca objetos mais fracos. Por exemplo, você não conseguirá ver Mercúrio perto de uma Lua cheia, porque o planeta não estará proeminente o suficiente. Apenas os objetos mais brilhantes, como Vênus ou Júpiter, poderão ser vistos.

  4. Um objeto brilhante perto da Lua pode ser uma estrela ou um planeta. Você pode dizer a diferença verificando se o objeto pisca. Se ele estiver piscando, então é uma estrela; caso contrário, é um planeta. Além disso, Júpiter e Vênus (às vezes Marte e Saturno, também) são muito mais brilhantes do que a maioria das estrelas. Você pode distinguir os planetas por suas cores:

  • Mercúrio é cinza ou acastanhado;
  • Vênus é amarelo pálido;
  • Marte é rosa pálido ou vermelho vivo;
  • Júpiter é laranja;
  • Saturno é dourado.
  1. Para identificar um objeto ou descobrir quando os objetos estão mais próximos na sua localização exata, use as ferramentas gratuitas de observação de estrelas, Sky Tonight ou Star Walk 2.

O app Sky Tonight

Para identificar um objeto no céu com a ajuda do Sky Tonight, siga estes passos:

1º passo. Abra o Sky Tonight e aponte seu dispositivo para o céu ou toque no grande botão azul. Uma representação ao vivo do que você vê no céu aparecerá na tela, e o aplicativo começará a acompanhar os seus movimentos.

2º passo. Aponte o dispositivo para a parte do céu onde o objeto está localizado. Para a sua comodidade, você pode limitar a magnitude visual para que apenas os objetos que podem ser vistos a olho nu apareçam na tela. Para fazer isso, toque no painel da parte inferior da tela e arraste o controle deslizante superior para a esquerda, mais perto do ícone do olho. A partir desse painel, você também pode ativar o modo noturno, alterar a aparência da constelação e muito mais.

3º passo. Agora você pode identificar o objeto brilhante e obter informações sobre ele tocando em seu nome.

O app Star Walk 2

Para identificar um objeto no céu com a ajuda do Star Walk 2, siga estes passos:

1º passo. Abra o Star Walk 2 e aponte o dispositivo para o céu ou toque no ícone da bússola no canto superior esquerdo da tela. Uma representação ao vivo do que você vê no céu aparecerá na tela, e o aplicativo começará a acompanhar os seus movimentos.

2º passo. Aponte o dispositivo para a parte do céu onde o objeto está localizado. Para a sua comodidade, arraste o controle deslizante à esquerda para baixo até que permaneçam na tela apenas os objetos que você pode ver no céu.

3º passo. Agora você pode identificar o objeto brilhante e obter informações sobre ele tocando em seu nome na parte inferior da tela.

Você também pode assistir ao nosso vídeo detalhado de passo a passo. Encontre mais vídeos na seção de Tutoriais.

Como fotografar a Lua com planetas?

Você pode tirar uma foto de um planeta perto da Lua com uma câmera profissional ou até mesmo com um smartphone. Confira algumas dicas para te ajudar:

  • Verifique a previsão do tempo. Abra o aplicativo Sky Tonight e toque no ícone do telescópio na parte inferior. Você verá duas guias: Índice de Observação de Estrelas e Tempo. Selecione a última e encontre a data com o tempo sem nuvens, para que elas não interfiram na sua noite de astrofotografia.

  • Descubra quando os objetos estão bem posicionados na sua localização. No Sky Tonight, toque no ícone da lupa na parte inferior. Insira o nome do objeto que lhe interessa e toque no ícone de alvo ao lado do resultado de pesquisa correspondente. Quando o aplicativo mostrar a localização do objeto, use o painel na parte superior para percorrer o tempo e determinar o melhor momento para tirar a foto.

  • Prepare uma moldura. Determine a distância aparente entre a Lua e o planeta e encontre sua altitude usando o Sky Tonight. Em seguida, defina um retângulo grande o suficiente para caber tudo o que você quer na moldura, mas deixe algum espaço. Depois, use uma calculadora de campo de visão para encontrar o tamanho certo da lente para a cobertura.

  • Traga outra coisa para dentro da foto. Dependendo do seu entorno, pode ser uma árvore ou uma casinha. Veja um exemplo de como um alvo em primeiro plano melhora uma fotografia. Use o modo de RA no Sky Tonight para sobrepor a imagem do céu noturno em seu plano de fundo. Toque no botão azul grande na tela principal para isso.

  • Use um tripé. Isso ajudará a sua câmera a ficar parada e tirar várias fotos do mesmo ângulo.

Eventos de fevereiro

22 de fevereiro: Vênus perto da Lua

Em 22 de fevereiro, às 07h57 GMT, Vênus (magnitude de -4,0) alcançará a conjunção com a Lua de 2 dias (magnitude de -7,8) na constelação de Peixes. A distância aparente entre os dois objetos será de 2°05'. É muito longe para identificá-los enquadrados ao mesmo tempo por telescópio, mas você verá a conjunção a olho nu, ou de binóculos.

Mais tarde nesse dia, às 09h41 GMT, a Lua e Vênus farão a aproximação mais estreita, passando a 1°50' um do outro. A Lua estará 4,3% iluminada nesse dia. A dupla será mais visível no Hemisfério Sul — procure por eles à noite.

22 de fevereiro: Júpiter perto da Lua

No mesmo dia, às 21h58 GMT, a Lua crescente (magnitude de -10,2) atingirá a conjunção com o brilhante Júpiter (magnitude de -2,1). Nosso satélite natural estará localizado na constelação da Baleia, e Júpiter se juntará a ele na constelação vizinha de Peixes. Os objetos estarão separados por 1,2°, que é muito amplo para caber dentro do campo de visão de um telescópio. Observe a conjunção a olho nu, ou leve um par de binóculos. O brilhante Vênus (magnitude de -3,9) também se juntará ao espetáculo celestial, brilhando um pouco mais baixo no horizonte.

Mais tarde, às 22h57, a Lua e Júpiter passarão a 1°03' um do outro, alcançando sua aproximação mais estreita deste mês. Mais uma vez, os observadores do Hemisfério Sul terão uma visão melhor. Veja a Lua, Júpiter e Vênus de uma só vez, a olho nu ou com binóculos. Os planetas permanecerão próximos por algum tempo e atingirão a conjunção em 2 de março.

Observadores de partes da América do Sul e da Antártida terão a oportunidade de ver a Lua passando na frente de Júpiter na constelação de Peixes. O evento é chamado de ocultação lunar e só pode ser observado em determinadas partes do mundo; o resto verá a conjunção.

28 de fevereiro: Marte perto da Lua

Em 28 de fevereiro, às 04h11 GMT, a Lua fará sua aproximação mais estreita de Marte avermelhado, passando a 1°03' do planeta. Durante a aproximação estreita, dois objetos celestes subirão mais alto no Hemisfério Norte. Você pode esperar vê-los à noite.

Mais tarde naquela noite, às 04h32 GMT, a Lua crescente convexa (magnitude de -11,4) passará a 1°04' de Marte e alcançará a conjunção com o planeta. O disco lunar estará 59% iluminado, e o Planeta Vermelho brilhará com uma magnitude de 0,4. Você verá ambos os objetos a olho nu ou com um par de binóculos, mas não perca tempo levando um telescópio: a conjunção não vai caber no campo de visualização. Procure os objetos na constelação de Touro.

Observadores de partes do norte da Europa e da Groenlândia terão a oportunidade de ver a Lua passando na frente de Marte. O evento é chamado de ocultação lunar e só pode ser observado em determinadas partes do mundo; o resto verá a conjunção.

Eventos de março

19 de março: Saturno perto da Lua

Em 19 de março, às 15h22 GMT, a Lua minguante (magnitude de -9,8) e Saturno (magnitude de 0,8) compartilharão a mesma ascensão reta na constelação de Aquário. O disco lunar 10,5% iluminado passará 3°35' ao sul de Saturno. É longe demais para binóculos ou um telescópio, então veja a conjunção a olho nu.

22 de março: Júpiter perto da Lua

Em 22 de março, às 20h21 GMT, a Lua crescente (magnitude de -8,3) passará apenas a 0°28' de Júpiter (magnitude de -2,0) na constelação de Peixes. Essa será a sua aproximação mais estreita em 2023! Infelizmente, a Lua estará 0,2% iluminada e não será visível no céu.

25 de março: Vênus perto da Lua

Em 25 de março, às 10h27 GMT, a Lua crescente (magnitude de -10,1) e Vênus (magnitude de -4,0) compartilharão a mesma ascensão reta na constelação de Áries.

Cinco minutos depois, às 10h32 GMT, a Lua e Vênus farão a aproximação mais estreita. O disco lunar 13,2% iluminado passará 0°06' ao sul do planeta. Isso também é extremamente próximo, então não perca essa oportunidade maravilhosa de capturar imagens de Vênus perto da Lua! Eles estarão perto o suficiente para caber no campo de visão de um telescópio, mas também estarão visíveis a olho nu ou através de binóculos.

Observadores em partes da Ásia e da África verão o disco lunar passar na frente de Vênus, criando uma ocultação lunar. Será visível da China, Índia, Tailândia e outros países. Veja a lista completa através do link.

28 de março: Marte perto da Lua

Em 28 de março, às 13h04 GMT, a Lua crescente (magnitude de -11,7) e Marte (magnitude de 0,9) farão a aproximação mais estreita. Eles passarão num raio de 2°17' um do outro na constelação de Gêmeos. Você poderá vê-los a olho nu ou através de binóculos. Um pouco mais tarde, às 13h16 GMT, a Lua e Marte compartilharão a mesma ascensão reta, criando uma conjunção.

Eventos anteriores

31 de janeiro: Marte perto da Lua

Em 31 de janeiro, às 04h24 GMT (01h24 BRT), a Lua crescente convexa se reunirá com Marte pela segunda vez em um mês. O Planeta Vermelho (magnitude de -0,3) brilhará a uma distância de 0,1° do nosso satélite natural (magnitude de -12,3). Essa será a conjunção mais próxima do ano, então não perca! Os planetas brilharão o suficiente para serem observados a olho nu. Encontre ambos na constelação de Touro.

Observadores de partes das Américas terão a oportunidade de ver a Lua passando na frente de Marte. O evento é chamado de ocultação lunar e só pode ser observado em determinadas partes do mundo; o resto verá a conjunção.

26 de janeiro: Júpiter perto da Lua

Em 26 de janeiro, às 02h00 GMT (Em 25 de janeiro, às 11h00 BRT), a Lua crescente (magnitude de -11,2) brilhará perto de Júpiter (magnitude de -2,2) na constelação de Peixes. A distância entre os dois objetos no céu será de 1,8°. É muito longe para identificá-los ao mesmo tempo com um telescópio, mas você verá a conjunção a olho nu, ou com binóculos.

23 de janeiro: Saturno e Vênus perto da Lua

Em 23 de janeiro, às 07h22 GMT (04h22 BRT), Saturno (magnitude 0,7) encontrará a Lua com 2 dias (magnitude de -6,9) na constelação de Capricórnio. A distância aparente entre os dois objetos será de 3°49'. É muito longe para identificá-los enquadrados ao mesmo tempo por telescópio, mas você verá a conjunção a olho nu, ou de binóculos.

Mais tarde neste dia, às 08h20 GMT (05h20 BRT), a Lua passará perto de Vênus (magnitude -3,9). A distância entre os dois corpos será de 3°27', o que é muito longe para caber dentro do campo de visão de um telescópio. Felizmente, eles serão brilhantes o suficiente para detectação sem quaisquer dispositivos ópticos.

3 de janeiro: Marte perto da Lua

Em 3 de janeiro, às 19h35 GMT (16h35 BRT), a Lua crescente convexa (magnitude de -12,2) passará num raio de 0,6° de Marte. Nosso satélite natural estará 91% iluminado, e Marte, um mês após a oposição, brilhará até -1,1. Procure os objetos na constelação de Touro. Você os verá facilmente a olho nu e poderá até encontrar o olho do Touro ardente e as Sete Irmãs nas proximidades.

Observadores de partes da África e Maldivas terão a oportunidade de ver a Lua passando na frente de Marte. O evento é chamado de ocultação lunar e só pode ser observado em determinadas partes do mundo; o resto verá a conjunção.

Conclusão

Agora você sabe o que são esses pontos brilhantes perto da Lua. Para ver os planetas e as estrelas perto do nosso satélite natural, escolha uma noite sem nuvens e use o Star Walk 2 ou o Sky Tonight para saber quando os objetos celestes estão mais bem posicionados na sua localização. Para uma explicação visual, assista ao nosso vídeo lançado recentemente sobre como identificar objetos brilhantes perto da Lua usando o aplicativo Sky Tonight, passo a passo.

Aprenda sobre as conjunções passadas com a Lua e os planetas que ocorreram em 2022 em nosso artigo separado.

Com votos de céus claros e boas observações!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.
Trustpilot