A Lua em conjunção com Mercúrio, Vênus, Saturno e Júpiter

~5 min
A Lua em conjunção com Mercúrio, Vênus, Saturno e Júpiter

Vão acontecer quatro conjunções planetárias com a Lua em setembro! Neste artigo, vamos contar como e quando observar esses eventos notáveis.

Conteúdo

O que significa uma conjunção com a Lua?

Em astronomia, uma conjunção é um evento aparente que ocorre quando dois ou mais objetos espaciais são visíveis muito próximos uns dos outros. Em geral, conjunções ocorrem entre a Lua e os planetas (Vênus, Mercúrio, Marte, Júpiter ou Saturno).

Obviamente, os planetas não se aproximam da Lua no espaço, já que isso causaria um impacto significativo no Sistema Solar. Os objetos espaciais só parecem estar perto no céu para os observadores da Terra.

Como ver uma conjunção da Lua com um planeta?

Veja o que você precisa saber com antecedência:

  • Os horários de subida e de descida dos objetos espaciais para a sua localização. Existe a possibilidade de que um objeto subirá acima do horizonte durante o dia, e, assim, você não conseguirá vê-lo.
  • A fase da Lua. O disco lunar totalmente iluminado é, sem dúvida, uma visão emocionante, mas também esconde alguns objetos relativamente fracos que estão próximos dele.
  • A trajetória do objeto espacial pelo céu. Ela te ajudará a visualizar o movimento futuro dos objetos espaciais.

Lembre-se de que, dependendo do seu fuso horário, mesmo se perder o momento exato da conjunção, você ainda terá a chance de avistar um planeta perto da Lua.

Use nossos aplicativos de observação das estrelas para descobrir rapidamente todas as informações necessárias, como os horários de subida e descida de um objeto ou a fase da Lua. Rastreie a trajetória dos objetos espaciais no céu ao longo do tempo para prever a posição deles em sua localidade ou descubra o nome de qualquer ponto brilhante acima de você.

Conjunções de setembro

8 de setembro: conjunção Lua-Mercúrio

Em 8 de setembro de 2021, às 20:18 GMT, a Lua e Mercúrio se encontrarão na constelação de Virgem. Essa será uma conjunção relativamente distante, já que a separação entre os objetos celestes será de 6°31'. Por essa razão, você deve observar a conjunção Lua-Mercúrio a olho nu. Não use um telescópio ou binóculos para a observação: um campo de visão normal de telescópios amadores varia de 1° a cerca de 5° (confira como calcular o campo de visão do seu telescópio).

Em 8 de setembro, como a Lua terá 1 dia de idade, apenas 3% do disco lunar estará visível. Brilhando em uma magnitude de 0,0, Mercúrio será um alvo difícil para as pessoas que vivem no Hemisfério Norte: o brilho do pôr do sol esconderá o planetinha da nossa visão. Observadores do Hemisfério Sul: não percam a oportunidade! Para vocês, o planeta estará no auge da sua aparição noturna deste ano ao longo do mês de setembro. Leia mais sobre Mercúrio no céu noturno em nosso artigo anterior.

10 de setembro: conjunção Lua-Vênus

Em 10 de setembro de 2021, às 02:08 GMT, a Lua 15% iluminada passará 4°04' ao norte do deslumbrante Vênus. O belo planeta é um dos objetos mais fáceis de encontrar no céu noturno; no dia da conjunção, ele brilhará com magnitude de -4,1 na constelação de Virgem, junto com a Lua.

17 de setembro: conjunção Lua-Saturno

A próxima conjunção acontecerá em 17 de setembro de 2021, às 02:33 GMT. Nosso satélite natural brilhante passará 3°45’ ao sul de Saturno: ambos os objetos celestes estarão posicionados na constelação de Capricórnio. O gigante gasoso será o mais fraco dos planetas visíveis no céu noturno, com uma magnitude de apenas 0,2. Apesar disso, um olho atento deverá reparar o planeta anelado perto da Lua 87% iluminada.

18 de setembro: conjunção Lua-Júpiter

Se por algum motivo você perdeu a espetacular conjunção da Lua e de Júpiter em agosto, esta é a sua segunda chance! Em 18 de setembro de 2021, às 06:54 GMT, a Lua quase cheia (94% iluminada) e o brilhante Júpiter se encontrarão novamente em nossos céus. Desde agosto, Júpiter perdeu ligeiramente seu brilho, mas continua sendo o segundo planeta mais brilhante depois de Vênus — o planeta gasoso brilha com uma magnitude de -2,8.

A dupla brilhante é o alvo perfeito para observação devido à sua posição no céu. Júpiter sobe alto no céu conforme cai a escuridão e permanece visível junto com a Lua até por volta das 3 da manhã, horário local. Procure por eles na constelação de Capricórnio e lembre-se de conferir a previsão do tempo com antecedência para ter certeza de que as nuvens não vão interferir nas suas observações.

Conjunções de agosto

10 de agosto: conjunção Lua-Marte

Em 10 de agosto de 2021, às 00h42min GMT, a Lua passará a 4°17' ao norte de Marte. Na noite da conjunção, a Lua fina, iluminada apenas 4%, brilhará em uma magnitude de -8,7; Marte avermelhado estará em uma magnitude de -2,9. Ambos os objetos do céu estarão posicionados na constelação de Leão. A Lua e Marte estarão muito separados, então não use um telescópio para a observação: tente um par de binóculos ou observe a olho nu.

Aliás, essa pode ser a sua última chance de observar o Planeta Vermelho este ano! O planeta já está bastante fraco e continua desaparecendo no brilho do Sol, movendo-se em direção à sua conjunção solar, que acontecerá no dia 08 de outubro de 2021.

11 de agosto: conjunção Lua-Vênus

Apenas um dia depois, em 11 de agosto de 2021, às 06:59 GMT, acontecerá a conjunção da Lua e de Vênus: a Lua passará a 4°17' ao norte de Vênus. Nosso satélite natural ganha brilho rapidamente, e no dia da aproximação de Vênus, a Lua estará brilhando em uma magnitude de -10,0. Vênus, por sua vez, é o planeta mais proeminente no céu, e terá uma magnitude de -4,0. Procure por eles na constelação de Virgem.

20 de agosto: conjunção Lua-Saturno

A próxima conjunção acontecerá em 20 de agosto de 2021, às 22:15 GMT. Dessa vez, a Lua 95% iluminada vai se reunir com Saturno na constelação de Capricórnio, posicionando-se a 3°42' ao sul do planeta. Os corpos celestes vão brilhar em magnitudes de -12,6 e 0,2, respectivamente.

Saturno acaba de alcançar uma oposição, o que significa que, agora, o planeta está no auge do seu brilho este ano. O planeta está quase no ponto oposto ao do Sol no céu da Terra e está visível durante a maior parte da noite. Saturno não é tão perceptível a olho nu quanto o próximo planeta da nossa lista, Júpiter; no entanto, quando observado através de um telescópio, Saturno proporciona uma visão realmente impressionante.

22 de agosto: conjunção Lua-Júpiter

Em 22 de agosto de 2021, às 04:56 GMT, você terá a chance de avistar o brilhante Júpiter perto da Lua Cheia Azul na constelação de Capricórnio; nosso satélite natural passará a 3°57' ao sul do gigante gasoso.

Júpiter também atingirá uma oposição em 20 de agosto de 2021, resplandecendo em seu auge. Ele estará muito mais luminoso do que Saturno, brilhando em uma magnitude de -2,9. Nem a Lua 100% iluminada ofuscará o seu brilho.

Isso era tudo que você precisava saber sobre as conjunções planetárias com a Lua, incluindo os próximos eventos relacionados. Se você gostou do artigo, compartilhe-o nas redes sociais.

Com votos de céus claros e boas observações!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.