Conjunções Planetárias: O Que São e Quando Será a Próxima?

~5 min

Neste artigo, você aprenderá quando os planetas se encontrarão no céu e como identificá-los rapidamente usando o aplicativo gratuito de observação de estrelas Sky Tonight.

Índice

O que é uma conjunção planetária?

Em palavras simples, uma conjunção planetária ocorre quando dois ou mais planetas aparecem próximos uns dos outros no céu. Essa proximidade dos planetas é uma ilusão de ótica — na realidade, eles estão muito distantes uns dos outros.

Do ponto de vista astronômico, uma conjunção acontece quando objetos celestes compartilham a mesma ascensão reta¹ ou longitude eclíptica² no céu.

¹Ascensão reta é o equivalente à longitude na superfície da Terra projetada na esfera celeste.

²Eclíptica é uma linha imaginária que marca a trajetória aparente do Sol no céu durante um ano. A longitude eclíptica é medida ao longo da eclíptica em direção a leste a partir da posição do Sol no equinócio de março.

Embora a primeira definição seja mais comum, ela não é muito precisa. Na verdade, ela descreve uma aproximação estreita (pequena separação angular) de objetos espaciais — um evento que geralmente ocorre perto de uma conjunção. Mas não confunda esses eventos! Uma aproximação estreita não é necessariamente uma conjunção.

Normalmente, a distância entre objetos durante uma conjunção varia de 0,5° a 9°. Para entender melhor, imagine que 0,5° é a largura média do disco da Lua Cheia. Às vezes, os planetas se aproximam ainda mais — da última vez, aconteceu com Júpiter e Saturno em 2020, quando eles apareceram a menos de 0,1° de distância. Esse evento é chamado de Grande Conjunção e dá um show espetacular para os observadores de estrelas.

Uma conjunção pode incluir outros objetos celestes além de planetas — por exemplo, luas, asteroides ou estrelas. Em nosso artigo, listamos as próximas conjunções da Lua e de planetas, para que você possa saber qual planeta está perto da Lua hoje à noite.

Alinhamento planetário

Algumas pessoas confundem conjunção planetária com alinhamento planetário, às vezes chamado de “desfile de planetas”. Uma conjunção implica em uma distância menor que a habitual entre objetos no céu, ao passo que um alinhamento significa que os planetas se alinham na mesma área do céu, do ponto de vista da Terra.

Localizando planetas com o Sky Tonight

Você pode facilmente localizar planetas no céu acima de você com a ajuda do Sky Tonight. Basta seguir estes passos:

  • Abra o aplicativo e digite o nome do planeta que você está procurando na barra de pesquisa.
  • Toque no botão de alvo azul, ao lado do resultado relevante, e o aplicativo mostrará a localização do planeta no mapa do céu.
  • Toque no botão da bússola azul para encontrar a posição real do planeta no céu acima de você. Uma seta branca aparecerá na tela, de modo que você possa acompanhá-la até avistar o planeta. A imagem do aplicativo corresponde ao céu real.

Próximas conjunções

21 de março de 2024: Vênus-Saturno

Em 21 de março, às 22:06 GMT, Vênus (mag -3,8) passará perto de Saturno (mag 1,1) na constelação de Aquário. Esta será uma conjunção particularmente próxima: os planetas estarão a apenas 0°18' de distância, enquanto a maioria desses eventos ocorre a uma distância de 30 a 78 arcominutos. No Hemisfério Sul, procure os objetos pela manhã, cerca de uma hora antes do nascer do sol; eles estarão visíveis baixos acima do horizonte leste. No Hemisfério Norte, os planetas estarão muito próximos do horizonte leste, surgindo pouco antes do nascer do sol. As chances de ver essa conjunção a partir de latitudes norte não são altas.

3 de abril de 2024: Vênus-Netuno

Em 3 de abril, às 10:53 GMT, Vênus (mag -3,8) passará a 0°17' de Netuno (mag 8,0) na constelação de Peixes. Vênus é visível a olho nu, mas Netuno requer um telescópio ou binóculos com boa ampliação. No Hemisfério Norte, a conjunção será difícil de ver porque os planetas estarão muito próximos do horizonte leste pela manhã. No Hemisfério Sul, o evento será um pouco mais fácil de ver, pois os planetas estarão mais altos acima do horizonte leste.

10 de abril de 2024: Marte-Saturno

Em 10 de abril, às 18:46 GMT, Marte (mag 1,2) passará a 0°24' de Saturno (mag 1,1) na constelação de Aquário. Ambos os planetas serão visíveis a olho nu. Os observadores no Hemisfério Sul poderão ver os planetas alto acima do horizonte leste pela manhã. No Hemisfério Norte, a vista será mais pobre, pois os planetas estarão mais próximos do horizonte leste, surgindo pouco antes do nascer do sol.

20 de abril de 2024: Júpiter-Urano

Em 20 de abril, às 07:30 GMT, Júpiter (mag -2.0) e Urano (mag 5.8) se encontrarão na constelação de Áries. A distância entre os planetas será de apenas 0°31'. Observe os planetas à noite, baixos no horizonte oeste, logo após o pôr do sol. Esta conjunção será melhor vista do Hemisfério Norte; no Hemisfério Sul, Júpiter e Urano estarão muito baixos. Não se esqueça de trazer binóculos para ver Urano — este planeta é muito fraco para o olho nu, especialmente em cidades com poluição luminosa.

29 de abril de 2024: Marte-Netuno

Em 29 de abril, às 04:01 GMT, Marte (mag 1.1) passará extremamente perto de Netuno (mag 7.9) na constelação de Peixes. A distância aparente entre os planetas será de apenas 2'14" — até a distância entre Júpiter e Saturno durante a Grande Conjunção em 2020 foi maior (6,1 minutos de arco). A conjunção de Marte e Netuno será muito menos espetacular, no entanto, porque Netuno é muito fraco para ser visível a olho nu. Pegue um par de binóculos ou um telescópio e procure o duo no leste pela manhã. Observadores no Hemisfério Sul terão uma visão melhor.

31 de maio de 2024: Mercúrio-Urano

Em 31 de maio, às 01:24 GMT, Mercúrio (mag -0.8) passará 1°21' de Urano (mag 5.8) na constelação de Touro. Os planetas estarão acima do horizonte leste pela manhã. Esta conjunção será difícil de ser vista de qualquer hemisfério, pois os planetas serão obscurecidos pela luz solar. Além disso, Urano não é visível a olho nu e requer ótica.

4 de junho de 2024: Júpiter-Mercúrio

Em 4 de junho, às 10:04 GMT, Júpiter (mag -2.0) passará 7'04" de Mercúrio (mag -1.2) na constelação de Touro. Infelizmente, a conjunção será difícil de ser vista da maioria dos locais porque os planetas estarão muito próximos ao Sol. Você pode tentar a sorte e procurá-los baixos no horizonte nordeste pela manhã.

15 de julho de 2024: Marte-Urano

Em 15 de julho às 09:22 GMT, Marte (mag 0.9) passará muito perto (0°33') de Urano (mag 5.8) na constelação de Touro. Do Hemisfério Norte, os planetas serão visíveis bem acima do horizonte leste pela manhã, cerca de uma hora antes do nascer do sol. Do Hemisfério Sul, estarão um pouco mais baixos, na direção nordeste. Você precisará de pelo menos um par de binóculos para ver Urano.

7 de agosto de 2024: Mercúrio-Vênus

Em 7 de agosto, às 17:23 GMT, Mercúrio (mag 1.8) passará 5°42' de Vênus (mag -3.8). Vênus estará na constelação de Leão, enquanto Mercúrio estará na fronteira de Leão e a pequena constelação de Sextans. Como os planetas estarão perto do Sol, eles serão difíceis de observar. Você pode tentar vê-los à noite, baixos no oeste.

14 de agosto de 2024: Marte-Júpiter

Em 14 de agosto, às 14:45 GMT, Marte avermelhado (mag 0.8) passará a apenas 0°18' de Júpiter brilhante (mag -2.2). Esta bela dupla será visível a olho nu na constelação de Touro. Considerando o brilho de ambos os planetas, a distância entre eles e a visibilidade, esta conjunção pode ser considerada a melhor do ano. Do Hemisfério Norte, Marte e Júpiter serão visíveis desde a meia-noite até a manhã, subindo alto acima do horizonte leste. No Hemisfério Sul, os planetas surgirão no nordeste pela manhã, algumas horas antes do nascer do sol.

Agora você sabe como e quando localizar os planetas juntos uns dos outros neste mês. Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos.

Com votos de céus claros e boas observações!

Crédito Texto:
Trustpilot