15 melhores aglomerados estelares visíveis a olho nu

~7 min
15 melhores aglomerados estelares visíveis a olho nu

Todos podem fazer observações do céu profundo. Para provar o argumento, listamos aqui 15 aglomerados estelares que são fáceis de ver, mesmo a olho nu. É isso mesmo: você não precisa de um telescópio sofisticado e caro para ver objetos que estão a trilhões de quilômetros de nós. Prepare-se para aprender mais sobre aglomerados estelares e vamos começar!

Índice

Aglomerados estelares

Primeiro de tudo, vamos descobrir o significado do termo. Um aglomerado estelar é um grande grupo de estrelas cujos membros são mantidos juntos por atração gravitacional mútua. Não deve ser confundido com galáxias, que também são grupos gravitacionais de estrelas. Para distinguir esses objetos espaciais, tenha em mente que as galáxias são muito mais massivas. Um típico aglomerado estelar (globular) contém uma massa de 100.000 sóis, enquanto a galáxia Via Láctea tem quase 1 trilhão de massas solares.

Aglomerados globulares x abertos

Os aglomerados estelares são divididos em dois tipos principais: globulares e abertos. A diferença entre eles é significativa.

Aglomerados globulares são grupos de estrelas antigos, geralmente esféricos, que podem conter de alguns milhares a um milhão de membros. Os exemplos mais conhecidos são 47 Tucanae e Omega Centauri.

Aglomerados abertos, por outro lado, são muito mais jovens e menores; eles contêm centenas ou milhares de estrelas. Esses aglomerados estelares tendem a perder o vínculo gravitacional ao longo do tempo e a se espalhar, tornando-se agrupados de maneira mais frouxa. Devido a isso, eles possuem uma forma mais irregular. Você pode notar isso observando as Plêiades, Híades ou o Aglomerado da Colmeia.

Como avistar um aglomerado estelar no céu

Existem três maneiras principais de avistar literalmente qualquer objeto do céu: ler um guia, usar um mapa do céu ou baixar um aplicativo de astronomia. Para o primeiro método, você precisa de uma instrução de como encontrar um aglomerado específico com orientação sobre uma estrela específica. Não se esqueça de que, como o céu parece diferente em diferentes hemisférios, é bastante difícil encontrar um guia abrangente. A segunda maneira requer o uso de sites — como o SkyMap ou o Sky-Map.org. Como eles não funcionam offline, não é o método mais conveniente para quem quer observar estrelas longe das luzes da cidade. Para a terceira maneira, basta baixar um aplicativo de astronomia.

Se você não é um observador experiente, mas quer sentir o encanto do céu estrelado, use o Star Walk 2 — com seus gráficos bonitos e exclusivos, você vai mergulhar no mundo da astronomia.

Se você já tem algum conhecimento de astronomia, não quer se distrair com um aplicativo e precisa de uma ferramenta fácil de usar, baixe o Sky Tonight. Ao contrário do Star Walk 2, ele mostra todos os objetos espaciais gratuitamente. O Sky Tonight é especialmente útil para observadores do céu profundo, pois oferece um grande banco de dados de OCPs.

Como ambos os aplicativos funcionam mesmo sem conexão com a internet, você pode se afastar das luzes da cidade e continuar usando-os.

Lista de aglomerados estelares

Nesta lista, os aglomerados estelares estão organizados pela sua magnitude aparente, começando pelo mais brilhante.

Observe que a magnitude limitante que o olho humano médio é capaz de discernir é de aproximadamente 5,5 em céus suburbanos (classe 5 em uma escala Bortle). No céu urbano (classe 8), mal se veem objetos com uma magnitude aparente de 4,0. Para ver mais, você pode usar binóculos ou encontrar um céu mais escuro.

1. Híades (Collinder 50)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 0,5
  • Constelação: Touro
  • Visível a partir do: Hemisfério Norte
  • Melhor época para ver: janeiro–abril

As Híades ou Collinder 50 são o aglomerado estelar aberto mais próximo e melhor estudado. Cerca de uma dúzia de estrelas brilhantes das Híades são visíveis a olho nu! Para encontrá-las, procure o grupo de estrelas em forma de V à noite; a estrela avermelhada brilhante Aldebarã está localizada nas proximidades.

2. Aglomerado Alpha Persei (Collinder 39)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 1,2
  • Constelação: Perseu
  • Visível a partir do: Hemisfério Norte
  • Melhor época para ver: agosto–novembro

A maneira mais fácil de encontrar a Collinder 39 é localizar seu membro mais brilhante, a Alpha Persei ou Mirfak, que também é a estrela mais brilhante da constelação de Perseu. No Hemisfério Norte, esse aglomerado estelar está acima do horizonte todas as noites do ano, embora permaneça muito baixo na primavera.

3. Plêiades (Messier 45)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 1,6
  • Constelação: Touro
  • Visível a partir de: todos os lugares
  • Melhor época para ver: novembro

As Plêiades, ou as Sete Irmãs, provavelmente são o aglomerado estelar mais famoso: é brilhante, bonito, fácil de ver e visível de todo o mundo. Para encontrar o Messier 45, olhe para cima por volta da meia-noite e procure um pequeno grupo de estrelas em forma de pá.

4. Aglomerado estelar de Coma (Melotte 111)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 1,8
  • Constelação: Coma Berenices (Cabeleira de Berenice)
  • Visível a partir do: Hemisfério Norte
  • Melhor época para ver: abril–maio

A característica mais notável da constelação de Coma Berenices, o aglomerado estelar de Coma, é fácil de encontrar por volta das 21h30 de uma noite de abril. Procure a letra branco-azulada “V” que é formada por estrelas fracas, quase finas.

5. Plêiades do Sul (IC 2602)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 1,9
  • Constelação: Carina (Quilha)
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: fevereiro–março

Espere cerca de uma hora após o pôr do sol para ver o homônimo sulista das famosas Plêiades. O IC 2602 é 70% mais fraco do que o seu homólogo do norte, mas ainda é um alvo fácil para ser avistado a olho nu. Ele também é visível apenas das latitudes do sul (daí o nome).

6. Aglomerado de Omicron Velorum (IC 2391)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 2,5
  • Constelação: Vela
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: março

O aglomerado estelar Omicron Velorum leva o seu nome do mais brilhante dos seus membros. É um objeto visível a olho nu menos popular do que os outros aglomerados estelares na lista, mas o IC 2391 é certamente bem visível: até mesmo nossos antepassados o observavam, e o descreveram pela primeira vez em 964.

7. Aglomerado do Poço dos Desejos (NGC 3532)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 3
  • Constelação: Carina (Quilha)
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: março

Em 1990, o Aglomerado do Poço dos Desejos tornou-se o primeiro alvo que o Telescópio Espacial Hubble já observara. Através de binóculos ou telescópios, o NGC 3532 assemelha-se a moedas de prata no fundo de um poço (daí o seu apelido); a olho nu, parece uma mancha nebulosa no céu.

8. Aglomerado de Ptolomeu (Messier 7)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 3,3
  • Constelação: Escorpião
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: junho–agosto

O Messier 7 é fácil de ver no Hemisfério Sul, onde atinge o ponto mais alto no céu por volta da meia-noite em meados de junho. No entanto, como nas latitudes do norte ele aparece baixo, você precisará de um horizonte desobstruído para vê-lo de lá.

9. Aglomerado da Colmeia (Messier 44)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 3,7
  • Constelação: Câncer
  • Visível a partir do: Hemisfério Norte
  • Melhor época para ver: setembro–maio

Para encontrar o aglomerado estelar da Colmeia, você deve lembrar que ele sobe mais alto no céu à noite durante todo o inverno do norte e no início da primavera, desaparece no brilho do Sol de junho a agosto e retorna para o céu da manhã em setembro.

10. Omega Centauri (NGC 5139)

  • Tipo: aglomerado globular
  • Magnitude: 3,9
  • Constelação: Centauro
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: abril–junho

O Omega Centauri é o maior e mais brilhante aglomerado globular da Via Láctea, um dos poucos aglomerados estelares globulares da Via Láctea visíveis a olho nu. Parece uma estrela fraca e difusa, melhor observável nas latitudes do sul, mas também visível no céu noturno do Hemisfério Norte.

11. 47 Tucanae (NGC 104)

  • Tipo: aglomerado globular
  • Magnitude: 4,0
  • Constelação: Tucano
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: setembro–novembro

O segundo maior e mais brilhante aglomerado estelar globular, 47 Tucanae, tem um núcleo extremamente denso que é visível através de binóculos. A olho nu, ele aparece como uma estrela ligeiramente borrada, semelhante à cabeça de um cometa sem cauda. Até o seu descobridor o confundiu com um cometa, no início!

12. Aglomerado da Borboleta (Messier 6)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 4,2
  • Constelação: Escorpião
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: abril–agosto

Vizinho do Messier 7 acima mencionado, o Messier 6 é um grupo menor de estrelas que se parece com um enxame de vaga-lumes através de binóculos. A olho nu, esse aglomerado parece uma nebulosa sem estrelas.

13. Aglomerado da Caixa de Joias (NGC 4755)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 4,2
  • Constelação: Crux (Cruzeiro do Sul)
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: março–maio

O brilhante aglomerado estelar da Caixa de Joias tem cerca de uma dúzia de estrelas em vários tons de azul, amarelo e laranja; a olho nu, ele parece uma estrela difusa. Você pode facilmente reconhecer o aglomerado pelo seu asterismo em forma de “A” formado pelas suas quatro estrelas mais brilhantes.

14. Aglomerado Duplo (NGC 869 e NGC 884)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 4,3
  • Constelação: Perseu
  • Visível a partir do: Hemisfério Norte
  • Melhor época para ver: outubro–fevereiro

O Aglomerado Duplo contém dois aglomerados estelares separados que parecem um único grande trecho nebuloso a olho nu. Como o aglomerado é difícil de ver quando está perto do horizonte, se você ainda não o conseguir ver, espere ele subir mais alto.

15. Aglomerado da Pequena Colmeia (Messier 41)

  • Tipo: aglomerado aberto
  • Magnitude: 4,5
  • Constelação: Cão Maior
  • Visível a partir do: Hemisfério Sul
  • Melhor época para ver: janeiro–fevereiro

O Messier 41, às vezes chamado de aglomerado estelar da Pequena Colmeia, está localizado perto de Sirius, a estrela mais brilhante do céu noturno. Você precisa procurar um objeto fraco que pareça difuso e diferente das estrelas mais nítidas.

Conclusão: agora você conhece pelo menos 15 belos aglomerados estelares que podem ser vistos sem equipamentos especiais. Na próxima noite clara, vá lá fora e tente identificar alguns deles! Além disso, compartilhe este artigo com seus amigos se você o achou útil.

Para uma melhor representação visual, confira as fotos coloridas de alguns dos aglomerados estelares desta lista na nossa conta do Instagram. Repare que, mesmo com equipamentos óticos, seus olhos não conseguem ver os objetos do céu profundo da maneira como eles aparecem em imagens profissionais.

Com votos de céus claros e boas observações!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.
Trustpilot