Ursa Maior: Guia da Constelação

~9 min
Ursa Maior: Guia da Constelação

Ursa Maior, comumente chamada de Grande Carro (explicaremos mais tarde por que esse nome não está totalmente correto), é a constelação mais reconhecível no Hemisfério Norte. Foi listada pelo astrônomo grego Cláudio Ptolomeu em seu Almagesto há mais de 2000 anos, e agora é conhecida em todo o mundo. A Ursa Maior não é apenas uma das mais fáceis de encontrar; ela também ajuda a localizar outras estrelas e constelações.

Índice

Fatos sobre a Ursa Maior

  • Nome: Ursa Maior (a Grande Ursa)
  • Sigla: UMa
  • Asterismo: o Grande Carro
  • Tamanho: 1280 graus quadrados (3ª maior constelação)
  • Ascensão reta: 10,67 h
  • Declinação: +55,38°
  • Visível entre: 90°N – 30°S
  • Hemisfério celestial: Norte
  • Estrela mais brilhante: Alioth (Epsilon Ursae Majoris)
  • Estrelas principais: 19
  • DSO de Messier: 7
  • Constelações limítrofes: Boötes (o Boieiro), Camelopardalis (a Girafa), Canes Venatici (Cães de Caça), Coma Berenices (a Cabeleira de Berenice), Draco (Dragão), Leo (Leão), Leo Minor (Leão Menor), Lynx (Lince)

Localização da Ursa Maior

A Ursa Maior é visível em latitudes entre 90°N e 30°S. Ela cobre 1280 graus quadrados ou 3,10% do céu noturno, sendo a terceira maior constelação. Observadores no Hemisfério Norte podem vê-la todas as noites, durante todo o ano.

Onde está o Grande Carro no céu?

O Grande Carro (também conhecido como "Big Dipper", "Caçarola" ou "Carro de David") é o asterismo de Ursa Maior, o padrão proeminente de estrelas que é menor do que a própria constelação. Para encontrá-lo, procure uma forma de xícara medidora com cabo. É o padrão mais reconhecível no céu, e consiste em estrelas brilhantes que formam a cauda e os quadris da Grande Ursa. No Hemisfério Norte, o Grande Carro fica alto no céu durante os meses de primavera e perto do horizonte durante o outono. No Hemisfério Sul, o asterismo é melhor visto de abril a junho nas regiões ao norte da latitude 25°S.

Como encontrar a Ursa Maior?

As outras partes da Ursa Maior são mais difíceis de reconhecer do que sua xícara medidora brilhante. A cabeça e o tronco superior da Grande Ursa incluem quatro estrelas brilhantes no lado direito do Grande Carro. Mais três estrelas formam as patas dianteiras. Por fim, as patas traseiras consistem em quatro estrelas; elas se estendem pela borda esquerda da xícara medidora.

Descubra outros objetos do céu usando o Grande Carro

As duas estrelas na borda externa da xícara do Grande Carro — Merak e Dubhe — são chamadas de "os ponteiros" porque apontam para Polaris. Para encontrar a Estrela do Norte, desenhe uma linha imaginária entre essas duas estrelas e estenda-a cerca de cinco vezes. Quando encontrar Polaris, você estará no caminho certo para encontrar o Pequeno Carro e, eventualmente, a constelação Ursa Menor. Polaris é a estrela mais brilhante da Ursa Menor que marca a extremidade do cabo do Pequeno Carro.

Além disso, você pode localizar Arturo com a ajuda do Grande Carro. Para encontrá-la, estenda o arco do cabo do Grande Carro para cerca de 30°, preservando sua curva natural. Arturo é a estrela laranja, a mais brilhante da constelação de Boötes (Boieiro). Ela é melhor vista durante os meses de primavera e verão no Hemisfério Norte e durante o inverno e outono no Hemisfério Sul. Se você prolongar ainda mais a curva, também poderá localizar Espiga, a estrela mais brilhante da constelação de Virgem.

Desenhe uma linha imaginária entre duas estrelas do Grande Carro na extremidade do cabo da xícara — Megrez e Phad — e estenda-a cerca de 45°. Você encontrará Régulo, a estrela mais brilhante da constelação de Leão.

Como encontrar Ursa Maior com aplicativos de observação de estrelas?

Se você não tem certeza se localizou Ursa Maior ou as constelações limítrofes corretamente, verifique com aplicativos de observação de estrelas.

Para encontrar a Grande Ursa com a ajuda do app Star Walk 2, toque no ícone da lupa e comece a digitar “Ursa” na barra de busca. O primeiro resultado, Ursa Maior com o ícone da ursa, é o que você precisa. Toque nele, e a seta o guiará até a constelação no céu noturno com base na sua geolocalização.

O outro aplicativo de observação de estrelas útil, Sky Tonight, funciona da mesma forma. Para encontrar a Grande Ursa, toque no ícone da lupa e digite “Ursa” no campo de busca. Toque no primeiro resultado — Ursa Maior — depois toque no ícone de alvo para ver sua posição atual no céu. Se você tocar no ícone da bússola, a seta o ajudará a encontrar a constelação com base na sua geolocalização. No Sky Tonight, você também pode encontrar o asterismo do Grande Carro sozinho. Para fazer isso, digite "Arado" no campo de busca e escolha o resultado relevante.

Saiba mais sobre os 7 aplicativos gratuitos de observação de estrelas e encontre o melhor para você.

As estrelas mais brilhantes da Ursa Maior

As estrelas mais conhecidas da Ursa Maior são as que formam o Grande Carro: Benetnash (Alkaid), Mizar-Alcor, Alioth, Megrez, Dubhe, Merak e Phad (Phecda). Mizar-Alcor é um sistema que contém pelo menos três pares de estrelas, mas parece uma só a olho nu. As estrelas mais brilhantes no asterismo são Alioth, Dubhe e Merak.

Alioth (ε UMa, HIP 62956, HR 4905)

Alioth (Epsilon Ursae Majoris) é a estrela mais brilhante da Grande Ursa e a 31ª mais brilhante do céu noturno, brilhando a uma magnitude de 1,8. Ela está localizada no cabo do Grande Carro, mais próximo da xícara medidora. A estrela é quase 3 vezes mais massiva que o nosso Sol, localizada a mais de 82 anos-luz de distância dele. É, também, uma das 58 estrelas primárias historicamente usadas na navegação celestial. "Alioth" se origina do árabe "alyat al-hamal", que significa "a cauda gorda da ovelha".

Dubhe (α UMa, HIP 54061, HR 4301)

Dubhe (Alpha Ursae Majoris) é a segunda estrela mais brilhante da Ursa Maior, o ponto superior direito da xícara medidora do Grande Carro. Sua magnitude aparente é igual a 1,8. Dubhe é o sistema binário espectroscópico onde a estrela primária Dubhe A é uma gigante laranja de cerca de 4,25 massas solares. Junto com Alioth, Dubhe está incluída na lista das estrelas de navegação primárias. O nome da estrela se origina da frase árabe que significa "as costas da Ursa Maior". Dubhe é uma das duas estrelas do Grande Carro que ajudam a encontrar Polaris.

Merak (β UMa, HIP 53910, HR 4295)

Merak (Beta Ursae Majoris) é a quinta estrela mais brilhante da Ursa Maior, o ponto inferior direito da xícara medidora do Grande Carro. Junto com Dubhe, serve como "um ponteiro" para encontrar Polaris. Merak é uma estrela subgigante branca-azulada com uma magnitude aparente de 2,3. Ela contém 2,7 massas solares e está localizada a cerca de 80 anos-luz do nosso Sol. O nome "Merak" vem do árabe "al-maraqq", que significa "os lombos".

Objetos do céu profundo em Ursa Maior

Ursa Maior contém 514 objetos do céu profundo, embora a maioria deles seja muito escura. Sete dos objetos do céu profundo de Ursa Maior estão listados no catálogo de Messier. São eles:

  • Messier 40 (M40, Winnecke 4),
  • Messier 81 (M81, NGC 3031, Galáxia de Bode),
  • Messier 82 (M82, NGC 3034, Galáxia do Charuto),
  • Messier 97 (M97, NGC 3587, Nebulosa da Coruja),
  • Messier 101 (M101, NGC 5457, Galáxia do Cata-vento),
  • Messier 108 (M108, NGC 3556),
  • Messier 109 (M109, NGC 3992).

Vamos dar uma olhada nos três objetos com melhor visibilidade.

Messier 81 (M81, NGC 3031, Galáxia de Bode)

M81 é uma galáxia espiral que brilha com uma magnitude de 6,9. Sua localização aproximada é de cerca de 12 milhões de anos-luz do nosso Sistema Solar. É possível detectar a luz fraca da galáxia mesmo através de binóculos, mas seu núcleo é visto apenas através de um telescópio. A melhor época para observar a Galáxia de Bode é em abril.

Messier 97 (M97, NGC 3587, Nebulosa da Coruja)

A Nebulosa da Coruja é uma das quatro nebulosas planetárias do catálogo de Messier. Tem uma magnitude de 9,9 e pode ser vista como um ponto fraco através de um par de binóculos, se o tempo estiver bom. Você terá uma visão melhor da nebulosa com equipamentos óticos mais profissionais — seus dois olhos de coruja podem ser vistos através de telescópios de 10 polegadas e maiores.

Messier 82 (M82, NGC 3034, Galáxia do Charuto)

A M82 está a uma distância de 12 milhões de anos-luz da Terra. Ela é conhecida pela sua taxa de formação estelar extraordinariamente alta — lá, as estrelas nascem 10 vezes mais rápido do que na nossa Via Láctea. A Galáxia do Charuto brilha a uma magnitude de 8,41. É melhor observada em abril e através de um telescópio profissional. Ainda assim, é possível identificá-la como uma mancha de luz, mesmo com binóculos.

Mitologia sobre a Ursa Maior

O nome Ursa Major significa “a grande ursa” em latim. A primeira menção da constelação por escrito pertence a Homero. Em “A Odisseia”, ele se refere a ela como “a Ursa, que os homens também chamam de Wain”.

Mitos gregos sobre a Ursa Maior

Como explica o mito grego, havia uma ninfa, Calisto, que fez um voto de virgindade a Ártemis. Porém, Zeus a amava, e eles tiveram um filho, Arcas. Uma versão diz que Ártemis tentou matar Calisto porque ela rompeu seu voto, mas Zeus transformou a amante em uma ursa no céu. Em outra versão, foi Hera quem tentou matar Calisto, por ciúmes. A terceira versão explica, ainda, que o filho Arcas cresceu enquanto sua mãe vagava na forma de ursa por quinze anos nas montanhas. Uma vez, Arcas encontrou Calisto numa caçada e quase matou a própria mãe, mas Zeus interrompeu e transformou Calisto em Ursa Maior e Arcas na constelação de Boötes (Boieiro).

Mitos ameríndios sobre a Ursa Maior

Os ameríndios têm dois mitos gerais sobre a Ursa Maior. De acordo com o primeiro, a constelação representa sete irmãos e sua irmã que fugiram para o céu para escapar de um perseguidor. Os irmãos se tornaram as sete maiores estrelas do Grande Carro, e a garota se tornou a pequena estrela Alcor. Nessa história horrível, as crianças foram perseguidas pela cabeça da mãe, que seu pai havia decapitado.

Outro mito difundido fala sobre a ursa perseguida por um caçador ou caçadores. Como diz a lenda das tribos iroquesas, seis caçadores perseguiram uma ursa. Três deles foram mortos por um gigante de pedra, e os outros três foram transferidos para o céu junto com a ursa para se tornarem a Ursa Maior.

A Grande Ursa em outras culturas

A constelação da Grande Ursa compartilha histórias de origens semelhantes na América do Norte e no Sul da Ásia. Isso pode significar que a constelação recebeu seu nome há mais de 50.000 anos, quando existia um culto ao urso paleolítico. A Ursa Maior também tem outros nomes antigos:

  • Mesopotâmico: Mul Mar Gid Da (“a constelação da carruagem longa”);
  • Egípcio: Khepesh (“a coxa”);
  • Chinês: Pih Tow (“o alqueire do norte”);
  • Hindu: Saptarshi (“os sete sábios”);
  • Persa: Haptoiringa (“os sete tronos”).

Perguntas frequentes

Por que Ursa Maior é tão importante?

A Ursa Maior é a constelação mais reconhecível. Ela aparece na cultura de várias nações, de Homero e da Bíblia aos mitos ameríndios. Além disso, é um ótimo ponto de referência para procurar outras estrelas e constelações. Descubra o quanto você sabe sobre constelações em nosso quiz desafiador.

Padrões misteriosos de estrelas no céu noturno fascinam as pessoas desde os tempos antigos. Neste teste, você precisará adivinhar constelações famosas a partir de suas imagens. Você conseguirá distinguir Cassiopeia da Ursa Maior? Jogue nosso jogo de adivinhação e descubra!
Responda ao questionário!

Quantas galáxias existem em Ursa Maior?

Ursa Maior contém 511 galáxias, no total, mas apenas algumas são bem visíveis. Os melhores alvos para telescópios amadores são a Galáxia do Charuto (M82, NGC 3034) e a Galáxia de Bode (M81, NGC 3031). Continue lendo para encontrar mais objetos do céu profundo que são fáceis de observar.

A Estrela do Norte faz parte de Ursa Maior?

A Estrela do Norte (também conhecida como Polaris) está localizada na constelação de Ursa Menor. As estrelas Merak e Dubhe da constelação de Ursa Maior ajudam a encontrar Polaris no céu noturno — você precisa traçar uma linha imaginária entre elas e, em seguida, estendê-la cinco vezes. Para localizar rapidamente qualquer estrela ou constelação, confira o vídeo-tutorial de observação de estrelas.

O Grande Carro é o mesmo que Ursa Maior?

O Grande Carro é o asterismo de Ursa Maior — o padrão proeminente de estrelas que é menor do que a própria constelação. Ele forma o quadril da Grande Ursa. O Grande Carro consiste em sete estrelas principais, seis das quais são as mais brilhantes em toda a constelação. O resto da Ursa Maior é difícil de ver a olho nu quando o céu está poluído pela luz. Saiba como encontrar Ursa Maior e outras constelações em nosso infográfico.

Saiba como encontrar com facilidade famosos padrões de estrelas e constelações no céu noturno. Descubra curiosidades sobre cada uma das constelações.
Veja Infográfico

Por que as constelações de Ursa Maior e Ursa Menor são chamadas de constelações circumpolares?

Ursa Maior e Ursa Menor giram constantemente em torno de Polaris e nunca se põem abaixo do horizonte no Hemisfério Norte. É por isso que são chamadas de constelações circumpolares. Elas podem estar acima ou abaixo da Estrela do Norte, dependendo da estação. A constelação circumpolar mais conhecida no Hemisfério Sul é o Cruzeiro do Sul. Confira seus conhecimentos sobre as constelações no jogo de adivinhação!

Padrões misteriosos de estrelas no céu noturno fascinam as pessoas desde os tempos antigos. Neste teste, você precisará adivinhar constelações famosas a partir de suas imagens. Você conseguirá distinguir Cassiopeia da Ursa Maior? Jogue nosso jogo de adivinhação e descubra!
Responda ao questionário!

Agora você sabe que a Ursa Maior é muito mais do que apenas o famoso asterismo em forma de xícara medidora. Ela é importante para a cultura, a ciência e até para a navegação marítima. Além disso, ajuda a localizar outras estrelas e constelações no céu noturno. Então, comece a explorar o universo a partir do Grande Carro!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.
Trustpilot