Objetos do céu profundo em junho de 2022

~6 min
Objetos do céu profundo em junho de 2022

Em junho, você pode passar noites observando objetos do céu profundo, mesmo com equipamentos óticos amadores. Objetos do céu profundo (ou OCPs) são corpos celestes localizados fora do nosso Sistema Solar. Os mais brilhantes deles estão listados no Catálogo Messier. Você reconhecerá um objeto Messier pela letra “M” em seu nome. A outra lista de referência popular é O Novo Catálogo Geral de Nebulosas e Aglomerados de Estrelas — seus objetos recebem as letras “NGC”. Além desses, existem outros catálogos do céu profundo, como o Index Catalogue, Caldwell, Collinder, Barnard e outros. Alguns OCPs estão listados em vários catálogos, então têm vários nomes diferentes.

Índice

Aglomerados de estrelas mais brilhantes para ver em junho

Em junho de 2022, teremos uma ótima visão de vários aglomerados de estrelas globulares e abertos:

  • 2 de junho: M13 (magnitude de 5,8);
  • 3 de junho: M12 (magnitude de 6,1);
  • 6 de junho: M10 (magnitude de 6,6);
  • 7 de junho: M62 (magnitude de 6,4);
  • 11 de junho: M92 (magnitude de 6,5);
  • 16 de junho: NGC 6388 (magnitude de 6,8);
  • 17 de junho: M6 (magnitude de 4,2);
  • 17 de junho: NGC 6397 (magnitude de 5,6);
  • 18 de junho: IC 4665 (magnitude de 4,2);
  • 20 de junho: M7 (magnitude de 3,3);
  • 23 de junho: NGC 6530 (magnitude de 4,6);
  • 24 de junho: NGC 6541 (magnitude de 6,6);
  • 29 de junho: NGC 6633 (magnitude de 4,6).

Vamos dar uma olhada mais de perto nos 7 mais brilhantes.

2 de junho: o Aglomerado de Hércules (M13)

O aglomerado globular de Hércules brilhará a uma magnitude de 5,8, atingindo seu ponto mais alto no céu à meia-noite local. M13 é um dos aglomerados de estrelas mais brilhantes do Hemisfério Norte, mas só é visto a partir das latitudes ao norte de 33°S.

O aglomerado globular recebeu seu nome da constelação de Hércules, onde está posicionado. Ele contém várias centenas de milhares de estrelas tão próximas, que às vezes elas se chocam e formam novas estrelas. Não é possível ver o M13 a olho nu, mas você terá uma ótima visão do aglomerado globular, mesmo através de um par de binóculos ou de um pequeno telescópio.

17 de junho: o Aglomerado da Borboleta (M6)

Procure pelo aglomerado de estrelas aberto da Borboleta (magnitude de 4,2) na constelação de Escorpião. Você terá a melhor visão no Hemisfério Sul, mas não será possível observá-lo de latitudes muito ao norte de 37°N. Em junho, o aglomerado de estrelas será visível durante toda a noite, atingindo o ponto mais alto do céu por volta da meia-noite local.

O M6 cobre tanto do céu quanto a Lua Cheia, por isso é melhor observá-lo através de um par de binóculos ou de um pequeno telescópio, porque ele não vai caber no campo de visão de um equipamento ótico maior. Você verá a forma de borboleta composta de estrelas azuis e de uma estrela laranja proeminente. Você pode até mesmo tentar localizá-lo a olho nu — se o céu estiver escuro e você tiver visão aguçada.

17 de junho: NGC 6397

O aglomerado globular NGC 6397 está localizado na constelação de Ara (Altar). É um dos aglomerados globulares mais próximos da Terra, posicionado a 7.800 anos-luz de distância do nosso planeta. Os melhores locais para observar o NGC 6397 estão no Hemisfério Sul, em latitudes ao sul de 16°N.

Brilhando a uma magnitude de 5,7, o aglomerado globular será difícil de detectar a olho nu, mas você verá a maior parte das estrelas através de um par de binóculos ou de um pequeno telescópio. Através de um telescópio, você verá a miríade de estrelas azuis, brancas e laranja de diferentes tamanhos.

18 de junho: IC 4665

O aglomerado estelar aberto IC 4665 brilhará a uma magnitude de 4,2 na constelação de Ofiúco. É bem visível tanto no Hemisfério Norte quanto no Hemisfério Sul, entre as latitudes 75°N e 64°S. A melhor hora para ver o aglomerado é por volta da meia-noite local.

O IC 4665 pode parecer mais escuro do que sua magnitude aparente porque o aglomerado está espalhado mais do que o dobro do diâmetro da Lua Cheia. Para ter uma visão melhor, use um par de binóculos ou um pequeno telescópio. Você pode até mesmo tentar detectar o IC 465 a olho nu de locais sem poluição luminosa.

20 de junho: o Aglomerado de Ptolomeu (M7)

O aglomerado de Ptolomeu (magnitude de 4,1) brilhará intensamente na constelação de Escorpião. Ele será mais visível no Hemisfério Sul, a partir de latitudes ao sul de 35°N. A melhor hora para observar o aglomerado é por volta da meia-noite local.

Como o nome do aglomerado sugere, o M7 foi descoberto na antiguidade pelo astrônomo grego-egípcio Cláudio Ptolomeu. Ele observou o aglomerado sem nenhum equipamento ótico, e você também pode tentar detectar o Aglomerado de Ptolomeu a olho nu no céu escuro. Você terá a melhor visão do M7 com um par de binóculos ou um pequeno telescópio.

23 de junho: NGC 6530

O NGC 6530 é um aglomerado estelar aberto da constelação de Sagitário. Ele brilhará a uma magnitude de 4,6, melhor visível no Hemisfério Sul, a partir de latitudes ao sul de 45°N. Chegará ao seu ponto mais alto no céu à meia-noite local.

Você pode tentar detectar o NGC 6530 a olho nu no céu escuro sem qualquer poluição luminosa, mas é melhor usar pelo menos um par de binóculos. Com um telescópio amador, você terá uma excelente visão de mais de duas dúzias de estrelas.

29 de junho: NGC 6633

O aglomerado estelar aberto NGC 6633 (magnitude de 4,6) brilhará intensamente na constelação de Ofiúco. O aglomerado atingirá seu ponto mais alto no céu por volta da meia-noite local. Estará bem visível nos Hemisférios Norte e Sul, em latitudes entre 76°N e 63°S.

O NGC 6633 cobre tanto do céu quanto a Lua Cheia. Portanto, é melhor observá-lo através de um par de binóculos. Se você quiser usar um telescópio, convém escolher um menor para que o aglomerado caiba por inteiro no campo de visão. Mas você pode até tentar detectar o aglomerado a olho nu se seus olhos forem aguçados e o céu não tiver poluição luminosa.

Objetos do céu profundo se encontram com a Lua e Vênus

Em junho de 2022, também vamos apreciar o encontro dos OCPs com os objetos do nosso Sistema Solar. Vamos dar uma olhada nesses eventos.

4 de junho: a Lua se encontra com o Aglomerado da Colmeia

Em 4 de junho, às 07h17 GMT, a Lua atingirá a conjunção com o Aglomerado da Colmeia. Os objetos ficarão a uma distância de cerca de 4° um do outro. O Aglomerado da Colmeia brilhará a uma magnitude de 3,07, e o disco lunar iluminado a 20% terá magnitude de -9,5. A distância entre os objetos será muito grande para que caibam no campo de visão de um telescópio, então observe-os através de um par de binóculos ou a olho nu.

23 de junho: Vênus se encontra com as Plêiades

No dia 23 de junho, à 00h53 GMT, o belo Vênus se encontrará com as “Sete Irmãs” — as Plêiades. Localize-os no céu noturno a 5,7° um do outro. Infelizmente, a distância é muito grande para que caibam no campo de visão de um telescópio, mas você pode usar um par de binóculos. Os corpos celestes podem até ser vistos a olho nu — Vênus brilhará a uma magnitude de -3,87, e as Plêiades o acompanharão a uma magnitude de 1,20.

25 de junho: a Lua se encontra com as Plêiades

Em 25 de junho, às 21h27 GMT, a Lua se aproximará do aglomerado estelar das Plêiades. A distância entre eles no momento da conjunção será de 3,9°, que é muito grande para ser observada através de um telescópio. Esse evento também não é tão espetacular a olho nu, mas você terá uma excelente visão com um par de binóculos. O disco lunar iluminado a 9% brilhará a uma magnitude de -8,22, e as Plêiades se juntarão a uma magnitude de 1,2.

Se você não tiver certeza de onde e quando ver objetos do céu profundo na sua localização, use o aplicativo de observação de estrelas Sky Tonight. Você só precisa digitar o nome do OCP que está procurando na barra de pesquisa e descobrirá a localização do objeto, eventos relacionados e outras informações detalhadas.

Desejamos um céu limpo e observações de sucesso!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.
Trustpilot