Objetos do céu profundo em abril de 2022

~5 min
Objetos do céu profundo em abril de 2022

Nosso universo está cheio de belos corpos celestes que temos a sorte de observar do nosso planeta natal, a Terra. E eles não são apenas estrelas e planetas próximos que aparecem como pontos brilhantes no céu para um observador de estrelas sem qualquer equipamento ótico. Se olharmos atentamente, poderemos ver os chamados objetos de céu profundo que parecem manchas difusas no céu e começam a tomar forma apenas se você pegar um telescópio ou binóculos. Vamos examinar melhor esses objetos distantes.

Índice

O que é um objeto do céu profundo?

Objeto de céu profundo é um termo usado para descrever objetos astronômicos além do nosso Sistema Solar: nebulosas, aglomerados de estrelas e galáxias são os tipos mais comuns. Geralmente é preciso binóculos ou um telescópio para observá-los, embora alguns deles possam ser fracamente vistos a olho nu no céu escuro da noite.

O que é um objeto Messier?

Os melhores alvos observáveis do céu profundo estão listados no catálogo Messier. Existem 110 objetos Messier, que incluem grupos de estrelas, nuvens de gás e poeira na nossa Via Láctea, e também galáxias além da nossa, que ficam lindas através de um telescópio. É interessante que o próprio Charles Messier não sabia que ele estava criando a lista dos objetos mais brilhantes do céu profundo. Ele era um caçador de cometas e listava todos os objetos que não deveriam ser confundidos com cometas. Enfim, observadores de estrelas curiosos agora homenageiam Messier e seu catálogo. Há até uma competição chamada de “maratona Messier”, quando os astrônomos tentam encontrar o maior número possível de objetos Messier em uma mesma noite, testando suas habilidades de observação e a qualidade de seus equipamentos óticos.

Por que algumas galáxias são chamadas de NGC?

A outra lista de referência popular é a NGC — O Novo Catálogo Geral de Nebulosas e Aglomerados de Estrelas, na sigla em inglês. Como ele contém 7.840 objetos, você terá alvos para observar por toda a vida. Os objetos desses dois catálogos, juntamente com muitos outros, podem ser encontrados gratuitamente no app Sky Tonight — é só escrever o nome do objeto no campo de busca, e você descobrirá a sua localização e terá informações detalhadas sobre ele.

Quais são os objetos mais visíveis do céu profundo?

Se você é um observador com olhos de gavião, pode tentar encontrar a Galáxia Andrômeda (M31) e as Plêiades (M45), mesmo a olho nu. Elas são melhor vistas, é claro, quando os céus não estão poluídos por luz. Mas há mais opções, se você usar equipamentos óticos. E aqui fornecemos uma lista de OCPs que estão bem posicionados em abril para observação de estrelas e astrofotografia, incluindo as datas em que estão mais altos no céu. Faça uma lista de controle e encontre todos eles!

1º de abril: a galáxia do Sombreiro (M104)

Posicionada na constelação de Virgem, a galáxia do Sombreiro é um dos alvos mais desafiadores para a astrofotografia, porque é muito brilhante no centro, mas nebulosa nas bordas. Você pode avistar a protuberância central grande e brilhante da galáxia mesmo através de pequenos binóculos. No entanto, se quiser ter a melhor vista das bordas escuras, deve usar pelo menos um telescópio de 10 a 12 polegadas.

4 de abril: a galáxia do Olho de Gato (M94)

A M94 é uma galáxia espiral localizada na constelação de Canes Venatici. A galáxia é conhecida como uma região de formação de estrelas frutíferas e o lugar onde há falta de matéria escura — os astrônomos ainda não sabem o porquê. Assim, a M94 é alvo de intensos estudos.

13 de abril: Centaurus A (NGC 5128)

A NGC 5128, localizada na constelação de Centauro, é uma galáxia lenticular que engoliu uma galáxia espiral há cerca de cinco milhões de anos. Esse evento causou a forte emissão de rádio que ainda captamos como ondas de rádio na Terra.

13 de abril: Omega Centauri (NGC 5139)

O Omega Centauri é o maior aglomerado globular da Via Láctea que contém, segundo as estimativas, 10 milhões de estrelas. Ele é visto como uma estrela nebulosa a olho nu, e por isso foi incluído no catálogo de estrelas de Ptolomeu em 140 a.C. Hoje em dia, com até mesmo um pequeno telescópio, é possível ver a beleza magnífica desse aglomerado de estrelas na constelação de Centauro, nos locais ao sul.

14 de abril: a galáxia do Rodamoinho (M51)

A galáxia espiral M51 está localizada na constelação de Canes Venatici. Seus braços enrolados magnéticos consistem em estrelas e gás misturados com poeira. Os braços servem como fábricas estelares, que criam novos aglomerados de estrelas através da compressão de gás hidrogênio. A M51 é uma galáxia muito fotogênica, bem vista mesmo através de telescópios amadores no Hemisfério Norte.

16 de abril: a galáxia do Cata-Vento do Sul (M83)

A M83 está localizada na constelação de Hydra. Essa magnífica galáxia com uma magnitude aparente de 7,5 é uma das galáxias espirais mais brilhantes do céu noturno. E não surpreende o fato de ela ser tão brilhante: ela teve seis supernovas nos últimos 100 anos! Ela será melhor vista em abril no Hemisfério Sul, muito parecida com a nossa própria Via Láctea.

17 de abril: M3

O aglomerado global Messier 3 está situado na constelação de Canes Venatici. Ele contém o maior número de estrelas variáveis entre todos os aglomerados conhecidos. Essas estrelas mudam o seu brilho com o tempo, algo que é muito útil para os astrônomos medirem distâncias até objetos do céu profundo. E, ciência à parte, é simplesmente um objeto celestial incrivelmente belo: milhões de estrelas batalhando no centro denso do aglomerado.

23 de abril: a galáxia do Cata-Vento (M101)

Localizada em Ursa Maior, a galáxia do Cata-Vento é melhor vista no Hemisfério Norte nesta primavera. E nem é apenas 1 objeto do céu profundo: ela contém 11 nebulosas brilhantes que têm seus próprios números NGC.

Objetos do céu profundo se encontram com a Lua e Mercúrio

Em abril de 2022, você também conseguirá ver a Lua passar perto das Plêiades e do aglomerado da Colmeia e, em seguida, Mercúrio em conjunção com as Plêiades. Vamos examinar melhor esses eventos.

5 de abril: conjunção Lua-Plêiades

Em 5 de abril, à 01h16 GMT, a Lua se encontrará com o aglomerado estelar das Plêiades. Esse evento não é tão espetacular para quem o assistir a olho nu, mas, através de um telescópio ou binóculos, você terá uma imagem digna do nosso satélite natural lentamente deslizando perto das Plêiades.

10 de abril: a Lua ocultando o Aglomerado da Colmeia

Em 10 de abril, às 16h27 GMT, a Lua cruzará o Aglomerado da Colmeia, ocultando dezenas de suas estrelas. Embora a Lua vá estar muito brilhante para podermos olhar o aglomerado de perto naquela noite, você ainda terá a visão singular através de binóculos.

29 de abril: conjunção Mercúrio-Plêiades

Em 29 de abril, às 19h29 GMT, Mercúrio e as Plêiades estarão em conjunção, ambos bem vistos, mesmo através de pequenos binóculos. Mercúrio estará 1,3° em relação ao canto inferior esquerdo do aglomerado estelar das Plêiades, mais perto de sua estrela mais brilhante Eta Tauri, também conhecida como Alcione.

Pode parecer difícil, a princípio, orientar-se no espaço profundo, mas pense só que essa mancha difusa que você capturou nos seus binóculos é uma galáxia gigante a mais de 31 milhões de anos-luz da Terra! É uma experiência emocionante que você não deve perder. Afinal, não há necessidade de fazer essa viagem sozinho — você pode facilmente localizar objetos do céu profundo com os aplicativos de observação de estrelas Star Walk 2 e Sky Tonight.

Divirta-se observando estrelas no espaço profundo!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.
Trustpilot