A nuvem alongada de Arsia Mons

~2 min
A nuvem alongada de Arsia Mons

A misteriosa nuvem fina e alongada foi notada em Marte novamente em meados de julho. Perguntamos a vocês no Twitter se queriam saber mais sobre esse curioso fenômeno e 94% votaram que sim. Portanto, reunimos os fatos que se sabem até o momento. Divirta-se!

O que é a nuvem alongada de Arsia Mons?

A Nuvem Alongada de Arsia Mons (AMEC, na sigla em inglês) é uma nuvem orográfica detectada acima do vulcão dormente Arsia Mons de 20 quilômetros de altitude, em Marte. Essa nuvem tem uma estrutura semelhante a uma cauda, é composta de água e gelo, e pode chegar a mais de 1.800 quilômetros de comprimento. Seu tamanho varia ao longo do dia marciano – na parte da manhã ela fica mais longa, paralela ao equador. O dia marciano, chamado “sol”, dura 24 horas, 39 minutos e 35 segundos.

A AMEC forma-se todo ano marciano (equivalente a 668 sóis ou 687 dias terrestres) em torno do solstício meridional e reaparece todos os dias durante 80 sóis ou até mais. O solstício meridional acontece quando o Sol está no ponto mais ao sul no céu de Marte, assim como o solstício de dezembro na Terra.

Todas as manhãs marcianas, quando a nuvem aparece, ela se forma e desaparece em poucas horas, o que dificulta as pesquisas. Ela não é detectável durante a tarde, quando a maior parte das sondas em órbita ao redor de Marte tendem a observar. A Mars Express foi a única a estudar a AMEC da órbita de Marte, porque ela contém a Câmera de Monitoramento Visual (VMC). Essa câmera é capaz de fotografar uma área anormalmente grande do planeta num único quadro. Juntamente com a órbita altamente elíptica da sonda, ela possibilita que a Mars Express tire fotos da nuvem de Arsia Mons.

A Mars Express e outras sondas também detectaram a nuvem de Arsia Mons em 2009, 2012, 2015 e 2018. Em 29 de julho de 2020, a Agência Espacial Europeia afirmou que ela apareceu novamente, com a prova de duas imagens feitas pela VMC na Mars Express em 17 e 19 de julho de 2020.

O que causou essa nuvem?

Não há erupções vulcânicas em Marte; o Arsia Mons entrou em atividade pela última vez há 50 milhões de anos. Apesar da localização, a AMEC não é o resultado de atividade vulcânica, mas um fenômeno meteorológico que também ocorre regularmente na Terra. As nuvens orográficas são causadas por ondas estacionárias atmosféricas. Quando o ar estratificado é forçado a mover-se de um ponto baixo para um mais alto, o ar resfria-se, e a condensação forma nuvens. Nuvens típicas movem-se pelo céu, mas uma nuvem orográfica está ligada ao acidente geográfico que a formou. Elas sempre ocorrem a sotavento do objeto do relevo que as esteja causando, tipicamente uma montanha ou corrente de ar.

Se você quiser que a gente escreva sobre algum assunto específico, é só nos avisar nas redes sociais. Acompanhe a gente para não ficar de fora dos eventos mais emocionantes da astronomia.

Crédito Texto:
Crédito de imagem:ESA/DLR/FU Berlin/J. Cowart

Star Walk 2

Star Walk 2 logotipo
Baixar na loja de aplicativos
Obtê-lo no Google Play