Galáxia da Via Láctea: tudo o que você precisa saber

~6 min
Galáxia da Via Láctea: tudo o que você precisa saber

Neste artigo, reunimos respostas para as perguntas mais populares sobre a Via Láctea. Continue lendo e você aprenderá o que ela é, onde é o nosso lugar na galáxia e quando é o melhor momento para ver a Via Láctea.

Índice

O que é a Via Láctea?

A galáxia da Via Láctea é uma enorme coleção de poeira, gás e estrelas, incluindo o nosso Sol. A Terra está localizada dentro dessa galáxia, por isso costuma ser chamada de “nossa galáxia natal” ou simplesmente de “nossa galáxia”.

Pode ser difícil de acreditar, mas aquela faixa estrelada no céu noturno que podemos ver da Terra é, na verdade, uma enorme galáxia que se estende por bilhões de quilômetros ao redor do nosso planeta. Qual é o tamanho dela? Vamos descobrir.

O tamanho da Via Láctea

A Via Láctea é a segunda maior galáxia do Grupo Local de galáxias; o primeiro lugar vai para Andrômeda. A Via Láctea tem 105.700 anos-luz de largura, enquanto a galáxia de Andrômeda tem 220.000 anos-luz de largura. A propósito, o Grupo Local — um grupo de várias galáxias, incluindo a Via Láctea — estende-se por cerca de 10 milhões de anos-luz ao nosso redor no espaço.

Por que ela é chamada de Via Láctea?

O nome da nossa galáxia, como os nomes de muitos outros objetos astronômicos, veio das antigas culturas grega e romana. Tanto os gregos quanto os romanos viam a faixa estrelada como um rio de leite. Os gregos acreditavam que era o leite da deusa Hera que o derramou pelo céu, e o mito dos romanos dizia que a Via Láctea era o leite de sua deusa Ops.

Outras culturas tinham seus próprios mitos e crenças sobre a faixa estrelada de luz no céu noturno. O povo do leste da Ásia o chamava de Rio Prateado do Céu; os finlandeses e os estonianos acreditavam que era o Caminho dos Pássaros; na África Austral, ela é chamada de Espinha Dorsal da Noite.

Que tipo de galáxia é a Via Láctea?

Existem quatro tipos principais de galáxias: espiral, elíptica, peculiar e irregular. A Via Láctea, em forma de espiral, pertence ao primeiro tipo; se você pudesse vê-la de cima (ou de baixo), ela se pareceria com um cata-vento girando.

Para ser mais específico, a Via Láctea é uma galáxia espiral barrada, o que significa que tem uma estrutura reta central em forma de barra composta de estrelas. Essa barra contém o núcleo da galáxia no centro e tem dois braços espirais presos às suas extremidades. Se a Via Láctea fosse uma galáxia espiral normal, seus braços levariam direto ao seu centro (ou núcleo), como na galáxia de Andrômeda.

No total, a Via Láctea tem quatro braços conhecidos — dois maiores, conectados à barra (Escudo-Centauro e Perseu), e dois menores (Norma e Sagitário), localizados entre eles. Anteriormente, os cientistas pensavam que todos esses braços eram grandes, mas, com a ajuda de imagens infravermelhas do Telescópio Espacial Spitzer da NASA, descobriram o contrário.

Onde está a Terra na Via Láctea?

Em relação à nossa localização dentro da Via Láctea, estamos longe de seu centro, o que é uma boa notícia (a menos que você sempre quis ter como vizinho um enorme buraco negro). Nosso Sol está localizado a cerca de 27.000 anos-luz do núcleo da Via Láctea, ou a meio caminho entre seu centro e a borda.

Nosso Sistema Solar está posicionado entre dois braços principais — Escudo-Centauro e Perseu, dentro do pequeno braço parcial chamado Braço de Órion ou Esporão de Órion. Esse braço tem cerca de 3.500 anos-luz de largura e mais de 20.000 anos-luz de comprimento. Ele recebeu esse nome em homenagem à constelação de Órion. Nossa localização dentro dele é a razão pela qual vemos tantos objetos brilhantes dentro da constelação de Órion — estamos simplesmente olhando para o nosso braço espiral local.

Para ver [a localização exata da Terra na Via Láctea], confira nosso infográfico que mostra nossa posição dentro do Universo observável.

O que há no centro da Via Láctea?

A região central da Via Láctea é chamada de Centro Galático e contém um buraco negro supermassivo de cerca de 4 milhões de massas solares, chamado Sagitário A*. Para ver o buraco negro, você precisará de um radiotelescópio especial.

Um observador casual consegue ver o Centro Galático, que é muito brilhante apesar da sua enorme distância da Terra (27.000 anos-luz). No entanto, seu brilho é fácil de explicar: existem cerca de 10 milhões de estrelas dentro de um parsec do Centro Galático.

Como sabemos como é a Via Láctea?

Da nossa posição dentro da Via Láctea, é muito difícil descobrir sua forma. Não temos fotos da nossa galáxia de lado, pois não podemos sair dela, por enquanto. Porém, temos várias pistas que ajudaram a descobrir como ela é:

  1. Os astrônomos observam as outras galáxias e as comparam com o comportamento daquela em que vivemos. Por exemplo, quando mediram as velocidades das estrelas e do gás na Via Láctea, viram que um movimento rotacional geral difere de movimentos aleatórios. Essa é uma característica de uma galáxia espiral.

  2. Como a Via Láctea se parece para nós como uma longa faixa no céu, significa que é mais provável que sua forma seja um disco que vemos de lado. Também podemos encontrar a protuberância no centro e, pela observação das outras galáxias, sabemos que as espirais são discos com protuberâncias centrais.

  3. A fração de gás, cor e conteúdo de poeira da nossa Via Láctea são como nas outras galáxias espirais.

Como ver a Via Láctea?

A boa notícia é que a Via Láctea é visível durante todo o ano, não importa onde você esteja na Terra. No entanto, à medida que o nosso planeta gira, a galáxia também se desloca pelo céu, assim como seu núcleo — o Centro Galático — a parte mais brilhante e espetacular. E, às vezes, o núcleo desaparece da nossa visão.

Confira as coisas que você precisa saber para aproveitar ao máximo a Via Láctea e o Centro Galático:

  • O Centro Galático está localizado na constelação de Sagitário, e assim como a constelação, só pode ser visível a partir de latitudes entre +55º e -90º. Se você mora acima de +55º de latitude, não verá o Centro Galático! Você avistará apenas parte do núcleo, e a melhor época é antes e depois do verão.
  • Do Hemisfério Norte, o Centro Galático é visível de março a outubro.
  • Do Hemisfério Sul, o Centro Galático é visível de fevereiro a outubro.
  • O núcleo da Via Láctea não é visível pelo resto dos meses ao redor do mundo porque, durante esse período, está localizado muito próximo do Sol.
  • Nas latitudes meridionais, as condições de observação são melhores porque o pico de visibilidade nesses locais ocorre no inverno, quando as noites são mais longas e escuras.
  • No início da sua temporada de visibilidade, o Centro Galático pode ser visto pouco antes do nascer do sol. Com o tempo, torna-se visível por um período mais longo a cada noite e atinge seu pico em junho-julho. Durante esses meses, o núcleo fica visível a noite toda.
  • Você precisa de um lugar realmente escuro e livre de poluição luminosa. Estas ferramentas ajudarão você a encontrar um lugar assim: Blue Marble da NASA, locais internacionais do Dark Sky, Dark Site Finder. Ou encontre o observatório mais próximo — eles estão sempre localizados em locais escuros.
  • Os céus devem estar sem nuvens e límpidos. Você pode usar um aplicativo de astronomia com uma previsão para observação de estrelas que indique as condições de observação. Por exemplo, o Sky Tonight — é gratuito e funciona sem conexão com a internet.
  • A fase da Lua é fundamental. Uma Lua Nova é ideal, pois não interfere nas observações.
  • Se você pretende fotografar a Via Láctea e seu núcleo, use ferramentas para visualizar a posição da galáxia no céu ao longo do tempo. Nosso conselho é o aplicativo Ephemeris, que prevê a visibilidade da Via Láctea, a posição exata do seu núcleo e muito mais. O Ephemeris também ajuda a encontrar e verificar rapidamente as informações detalhadas sobre o Sol, a Lua e a Via Láctea para qualquer data, hora e local.

Dúvidas frequentes

Quantas estrelas existem na Via Láctea?

É difícil dar um número exato, mas existem pelo menos 100 bilhões de estrelas na Via Láctea. A estimativa atual dos cientistas está entre 100 e 400 bilhões de estrelas.

Quantos planetas existem na Via Láctea?

Os cientistas consideram que há pelo menos 100 bilhões de planetas na Via Láctea, e mais de 10 bilhões deles são terrestres.

Quantos Sistemas Solares existem na Via Láctea?

Bem, existe apenas um Sistema Solar na nossa galáxia, pois apenas o nosso recebe esse nome oficialmente. Mas os astrônomos encontraram mais de 3.200 outras estrelas com planetas em suas órbitas na Via Láctea.

Quantas constelações existem na Via Láctea?

Vista da Terra, a Via Láctea ocupa a área do céu que inclui 30 constelações. A parte mais brilhante da nossa galáxia, o Centro Galático, fica na constelação de Sagitário.

Felizmente, neste artigo, respondemos a todas as principais perguntas sobre a Via Láctea. Não hesite em nos fazer qualquer pergunta nas redes sociais e compartilhar sua experiência de observação da Via Láctea.

Com votos de céus claros e boas observações!

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Kota Hamori
Trustpilot