Chuvas de meteoros de dezembro

~4 min
Snow covered trees and meteor in the sky

O último mês de 2020 nos trará alguns eventos notáveis de observação do céu. No artigo de hoje, gostaríamos de contar sobre as chuvas de meteoros que atingem o pico em dezembro. Como observá-las? Quantos meteoros devemos esperar? Haverá bolas de fogo brilhantes? Vamos responder a essas perguntas!

A lista de chuvas de meteoros de dezembro

Claro, as principais “estrelas cadentes” de dezembro são as Geminídeas. Na verdade, elas são um dos principais destaques do ano, com uma taxa de 100 meteoros por hora! E é por isso que vamos publicar um artigo separado sobre as Geminídeas na próxima semana. Por ora, vamos falar sobre chuvas de meteoros menos prolíficas, mas ainda sim notáveis.

Nesta lista, vamos colocar todos os fluxos de meteoros em ordem cronológica, com base em suas datas de pico. Mas tenha em mente que você não precisa aguardar o pico de atividade para conseguir ver umas “estrelas cadentes” brilhantes. As condições de observação dependem muito do clima, das fases da lua etc. Se o céu estiver escuro e o clima, favorável, não pense duas vezes: comece a observar o céu imediatamente. Para saber se as condições são adequadas para observar estrelas esta noite, confira nos widgets do Star Walk 2 para o iOS 14.

Meados de dezembro serão favoráveis para a observação de meteoros. A Lua alcançará uma nova fase em 14 de dezembro, portanto não perca a chance de ver meteoros no céu escuro, sem a luz do luar.

  • Púpidas-Vélidas

As Púpidas-Vélidas permanecem ativas de 1º a 15 de dezembro e produzem a taxa máxima de meteoros em torno de 6 de dezembro. O ponto radiante das Púpidas-Vélidas fica entre as constelações de Vela e Popa. Essa chuva de meteoros é difícil de avistar no Hemisfério Norte. Ela só pode ser observada em áreas ao sul – por exemplo, Miami – da meia-noite às seis horas da manhã. No Hemisfério Sul, esse fluxo poderá ser observado logo após o pôr do sol.

Os meteoros desse fluxo são longos e graciosos, e disparam do sul para cima. As Púpidas-Vélidas oferecem até 10 meteoros por hora; no entanto, eles costumam são vistos em conjunto com os das Geminídeas, que são muito mais intensos.

  • σ-Hidrídeas

A chuva de meteoros σ-Hidrídeas tem quase o mesmo período de atividade que as Púpidas-Vélidas: de 3 a 15 de dezembro, com um pico por volta do dia 11. Seu ponto radiante está localizado na constelação de Hidra, e esse fluxo produz aproximadamente 3 meteoros por hora. Aguarde as três horas da manhã para ver mais meteoros das σ-Hidrídeas. É difícil dizer se devemos esperar bólidos brilhantes desse fluxo, embora tenham ocorrido registros de casos nos EUA e no Japão há vários anos.

  • Monocerotídeas

A chuva de meteoros Monocerotídeas permanece ativa a partir de 28 de novembro e dura quase um mês, até 27 de dezembro. Seu pico de atividade ocorre ao redor de 13 de dezembro – observadores da Terra devem esperar dois meteoros por hora. Alguns astrônomos consideram que existem dois ramos das Monocerotídeas: o de novembro e o de dezembro. Como os observadores concentram-se principalmente nas prolíficas Geminídeas, que também atingem seu pico na mesma época, a chuva de meteoros Monocerotídeas, como muitas outras chuvas pequenas ou fracas, não é bem conhecida.

Esse fluxo é visível da maior parte da Terra e é melhor observado em torno de uma hora depois da meia-noite na sua hora local. Na sua atividade máxima, o ponto radiante está localizado no extremo norte de Monoceros (Unicórnio).

  • Comae Berenicídeas

As Comae Berenicídeas, ou antigas Coma Berenicídeas, são uma chuva de meteoros de menor importância com um radiante na constelação Coma Berenices (Cabeleira de Berenice). A chuca ocorre de 12 a 23 de dezembro, com a máxima prevista para cerca de 16 de dezembro – procure seus meteoros antes do amanhecer. As Comae Berenicídeas produzem cerca de 3 meteoros por hora e têm uma órbita semelhante às Leo Minorídeas de dezembro. As duas chuvas de meteoros costumam ser confundidas.

  • Leonis Minorídeas de dezembro

A chuva de meteoros Leonis Minorídeas de dezembro são um fluxo de longa duração que permanece ativo de 6 de dezembro a 18 de janeiro. A atividade máxima ocorre perto de 21 de dezembro, quando as taxas podem chegar a 5 meteoros por hora. Procure o ponto radiante na constelação de Leão Menor e observe esse fluxo às cinco horas da manhã na sua hora local.

  • Ursídeas

A chuva de meteoros Ursídeas vai de 17 a 26 de dezembro e atinge seu pico no dia 22, no solstício de dezembro. Fique atento para esses meteoros na parte da manhã, às cerca de cinco horas na hora local, e conte com algumas bolas de fogo luminosas: elas são comuns nesse fluxo. As Ursídeas são consideradas uma importante chuva de meteoros: houve algumas explosões de atividade referentes a essa chuva no século passado, quando as taxas ultrapassaram 25 meteoros por hora. Mas, em 2020, os observadores não verão mais de 10 meteoros por hora.

Essa chuva de meteoros foi batizada em homenagem ao asterismo Ursa Menor, onde está seu radiante. Devido à localização do seu ponto radiante, as Ursídeas são um evento exclusivo para o Hemisfério Norte.

Observe que, neste artigo, fornecemos um horário quando os meteoros são supostamente melhor observados. O horário indicado é mais preciso para latitudes médio-setentrionais.

Compartilhe a sua opinião nas redes sociais se você acha que devemos fazer listas semelhantes com mais frequência! Desejamos um céu claro e boas observações a você.

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology
Star Walk 2 logotipo

Star Walk 2

Baixar na loja de aplicativos
Obtê-lo no Google Play