Como ver o trem de satélites Starlink esta noite?

~13 min
Como ver o trem de satélites Starlink esta noite?

Vamos falar sobre os Starlinks e descobrir como visualizá-los a partir da sua localização, utilizando os aplicativos Satellite Tracker e Star Walk 2.

Conteúdo

Para quem nunca ouviu falar na Starlink, aqui está uma rápida recapitulação. Starlink é um enorme sistema de satélites que visa proporcionar um serviço de internet de alta velocidade para até mesmo as áreas mais remotas da Terra. Tem sido desenvolvido e construído pela empresa SpaceX, de Elon Musk, desde 2015.

Os satélites são lançados em órbita em remessas. Até hoje, já foram enviadas ao espaço 13 remessas, e agora há 775 satélites movidos a energia solar orbitando a Terra. Eventualmente, a SpaceX planeja construir uma enorme constelação de 12.000 satélites, com uma possível expansão posterior para 42.000.

Leia mais sobre as missões anteriores da Starlink na nossa matéria.

Não há problemas em lançar tantos satélites?

Houve debates sobre os possíveis problemas que os satélites da rede Starlink podem criar. Já existem cerca de 5.000 satélites na órbita da Terra. Se o plano da SpaceX for bem-sucedido, o céu ficará repleto de objetos artificiais que refletem a luz. Isso poderá dificultar o trabalho de astrônomos profissionais, cujas imagens do céu serão contaminadas com satélites. Outro problema é que tantos objetos podem potencialmente colidir uns com os outros, gerando lixo espacial.

Em resposta à primeira preocupação, a SpaceX já testou dois protótipos de satélites com superfícies escuras: o DarkSat e o VisorSat. Agora, todos os satélites que iniciarem na missão Starlink-8 têm superfícies antirreflexivas. Quanto ao segundo problema, Elon Musk disse que os satélites são projetados para queimarem na órbita terrestre no prazo de cinco anos em caso de falha.

Os satélites Starlink proporcionam uma vista espetacular: eles se parecem com um trem de pontos brilhantes no céu da noite. Você pode vê-los com facilidade a olho nu, se souber onde e quando procurar.

Satellite Tracker

Recomendamos usar o aplicativo Satellite Tracker para caçar a Starlink:

  • Depois de abrir o aplicativo, toque no ícone do satélite no canto superior direito da tela e, em seguida, toque em “Todos”.
  • Localize a seção “Starlink da SpaceX” e escolha a missão de seu interesse (o número após a letra “L” é o número do lançamento).
  • Toque no botão “Rastrear” ao lado de um ou de vários satélites para adicioná-los à sua lista de rastreamento. Observe que os satélites dessa lista são classificadas segundo a ordem em que aparecem no céu acima de você.
  • Toque em um dos satélites de seu interesse para selecioná-lo e volte para a tela principal.

No topo da tela principal, o temporizador “Próxima passagem” conta o tempo restante até o próximo sobrevoo do satélite selecionado na sua localização. Toque na seta para baixo para abrir a lista de passagens visíveis da sua localização que ocorrerão no futuro próximo. Use essa lista para planejar as suas observações. Para ver a lista de todas as passagens, toque em “Todas as passagens”.

A tela principal do aplicativo tem três modos. Você pode alternar entre eles tocando nos ícones redondos na parte inferior:

  • Vista do globo: permite ver a trajetória de um satélite em torno do modelo 3D da Terra e no mapa da Terra;
  • Vista do satélite: mostra um modelo 3D do satélite na sua posição atual acima da Terra;
  • Vista do céu: permite ver onde está o satélite no céu, seguindo o indicador de seta.

Star Walk 2

Outra maneira de localizar o trem de satélites Starlink no céu acima de você é usando o aplicativo Star Walk 2.

  • Abra o aplicativo, toque no ícone da lupa e toque no ícone do satélite no canto inferior direito da tela.
  • No topo da lista dos “Principais Satélites”, você encontrará os Starlinks lançados mais recentemente.
  • Desça a tela até a seção “Starlink da SpaceX” e escolha a missão que deseja acompanhar.
  • Toque no satélite em que está interessado, e o Star Walk 2 dará informações precisas sobre a posição e a trajetória dele.

Vários sites também vão ajudá-lo a ver os satélites Starlink.

  • No site Heavens-Above, na seção especial dedicada a esses satélites, você pode ver previsões sobre passagens dos Starlinks. Selecione a missão que lhe interessa, defina a data e veja as informações sobre a próxima passagem dos satélites. Ou procure os satélites Starlink através da seção “Banco de dados de satélites”.
  • Em N2YO.com, você pode digitar o nome de um satélite Starlink no campo de busca, e a ferramenta mostrará a posição e a trajetória dele. Além disso, ela ajudará a rastrear satélites que lhe interessam, obter previsões de 10 dias e informações completas sobre eles.
  • Para rastrear satélites com a ajuda do CelesTrak, abra a visualização de órbita, toque no ícone do menu no canto superior esquerdo da tela principal, selecione a seção “Catálogo de satélites” e digite o nome de um satélite no campo de busca que aparece na parte inferior da tela. Escolha o resultado de busca correspondente, e você verá a trajetória do satélite e as principais informações sobre ele.

Desejamos um céu claro e boas observações a você!

Fique por dentro da implantação da maior constelação de satélites do mundo! Fique de olho nas últimas atualizações, descubra rapidamente quantos satélites Starlink estão em órbita no momento e aprenda detalhes sobre lançamentos recentes.

Em 14 de setembro de 2021, às 03:55 GMT, foi lançado um foguete Falcon 9 da SpaceX na primeira missão dedicada com a 30ª remessa de satélites Starlink do Complexo de Lançamento Espacial 4 (SLC-4) na Base da Força Espacial de Vandenberg, na Califórnia.

Com o último lançamento em 26 de maio de 2021, foi concluída a primeira "concha" da Starlink em uma inclinação de 53°. Futuros lançamentos da Starlink entregarão satélites de internet a órbitas de maior inclinação. Essa missão marca o 1º lançamento da terceira concha Starlink, que consistirá em 720 satélites em uma inclinação de 70°.

A segunda concha da megaconstelação consistirá em 1.584 satélites em 53,2°, ligeiramente fora do ângulo da concha a 53 graus. Essa configuração orbital atualizada expandirá a área de cobertura e aumentará a largura de banda da constelação de satélites Starlink. A SpaceX preencherá essa concha juntamente com a quarta, que consistirá em 348 satélites em uma inclinação de 97,6°.

Em 26 de maio, às 18:59 GMT, a SpaceX lançou a 29ª remessa de cerca de 60 satélites de internet para a megaconstelação Starlink. Essa missão aumentou o número total de satélites Starlink lançados para 1745 unidades.

No início deste mês, a Google e a SpaceX anunciaram uma parceria para ajudar a oferecer serviço de internet através dos satélites Starlink. Sob o acordo, a empresa de Elon Musk começará a localizar estações terrestres da Starlink em centros de dados da Google para fornecer serviço de internet de alta velocidade através do Google Cloud. Dizem que o serviço estará disponível para empresas no segundo semestre de 2021.

Em 15 de maio, às 22:56 GMT, a SpaceX mandou a 28ª remessa de satélites Starlink para a órbita da Terra. O foguete Falcon 9 decolou do Complexo de Lançamento 39A do Kennedy Space Center, na Flórida. Essa missão aumentou o número total de satélites Starlink lançados para 1685 unidades.

Os satélites Starlink que estão sendo lançados na órbita polar têm um sistema de comunicação a laser, que permite aos satélites transferir as comunicações de um satélite a outro através de um laser no mesmo plano orbital. As comunicações a laser são mais seguras que terminais de radiofrequência (RF), que podem ser bloqueados. Observe que, se o nome de uma missão da Starlink contiver a abreviação "RF", isso sugere que os satélites não são equipados com os links de comunicação a laser. Por exemplo, a Missão Starlink-27 lançada em 9 de maio também é conhecida como a Missão 4-2 Starlink RF.

Em 9 de maio, às 06:42 GMT, a SpaceX mandou a 27ª remessa de satélites Starlink para a órbita. O foguete Falcon 9, com 60 satélites a bordo, decolou do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Flórida, EUA. Agora, há 1625 satélites Starlink na órbita terrestre.

O lançamento de hoje marcou o 10º voo do foguete auxiliar reutilizável da Falcon 9 – B1051. Como a fabricação de um foguete auxiliar de primeiro estágio constitui cerca de 60% do custo do lançamento de um único foguete, a SpaceX desenvolveu foguetes auxiliares reutilizáveis para reduzir os custos dos lançamentos. Muito provavelmente, depois do voo recordista de hoje, o B1051 finalmente receberá uma grande remodelação.

Em 4 de maio de 2021, às 19:01 GMT, a 26ª remessa de aproximadamente 60 satélites para a rede de banda larga Starlink, da SpaceX, foi lançada em órbita do Complexo de Lançamentos 39A do Kennedy Space Center, Flórida, EUA. Agora, o número total de satélites Starlink em órbita terrestre é de 1565 unidades.

Em 27 de abril de 2021, a Comissão Federal de Comunicações (FCC) publicou uma ordem e uma autorização aprovando uma modificação da licença da SpaceX para a sua constelação Starlink. Agora, a empresa está autorizada a deslocar mais de 2800 satélites adicionais anteriormente aprovados para órbitas na faixa de 1100 a 1300 km para órbitas mais baixas, de 540 a 570 km. Atualmente, a SpaceX está usando a mesma faixa orbital para os seus satélites em operação.

A modificação era objeto de intenso debate na FCC: muitos operadores de satélites contestavam-na por diversas razões, incluindo o maior risco de interferência eletromagnética, colisões entre satélites e a criação de destroços na órbita. A FCC rejeitou essas alegações, concluindo que as "operações na altitude mais baixa terão efeitos benéficos em relação à mitigação de destroços orbitais" e "não apresentarão problemas significativos de interferência".

Em 29 de abril, às 03:44 GMT, a missão Starlink-24 lançou mais 60 satélites Starlink em órbita. Esse lançamento marcou a 25ª missão Starlink e aumentou o número total de satélites Starlink lançados para 1505 unidades.

Os satélites Starlink têm um design plano e compacto que permite o encaixe de até 60 satélites no Falcon 9. Apesar de suas dimensões pequenas, cada satélite Starlink possui comunicações avançadas, tecnologias econômicas e fornece rastreadores estelares de dados ao satélite. Os satélites Starlink também são equipados com um sistema autônomo de evitação de colisão, que utiliza o banco de dados de rastreamento de destroços do Departamento de Defesa dos Estados Unidos para evitar colisões com outras espaçonaves e lixo espacial de forma autônoma.

Em 7 de abril, às 16:34 GMT, a SpaceX mandou a 24ª remessa de satélites Starlink para a órbita. Com 60 satélites a bordo, o foguete Falcon-9 decolou do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Flórida, EUA.

Enquanto isso, outros players estão entrando no mercado de internet por satélite. Nos EUA, o principal concorrente da SpaceX é a Amazon, com o seu Projeto Kuiper. O CEO da Amazon, Jeff Bezos, alega que seus satélites funcionarão de forma tão eficaz quanto os de Elon Musk, mas a um custo menor, graças a antenas menores e mais baratas. Outra empresa que está construindo sua própria constelação de satélites é a OneWeb, do Reino Unido. Ela já lançou 146 satélites na órbita baixa da Terra e pretende lançar vários outros milhares nos próximos anos.

Muitas pessoas continuam manifestando preocupações com uma quantidade tão grande de satélites na órbita do nosso planeta. O risco de colisão continua sendo o maior problema. Nessas circunstâncias, as autoridades governamentais talvez precisem começar a pensar em novas leis e regulamentos internacionais para operadores de satélites.

Em 24 de março de 2021, às 08:28 GMT, foi lançada a 23ª remessa de aproximadamente 60 satélites para a rede de banda larga da Starlink. Agora, o número total de satélites Starlink na órbita da Terra equivale a 1.385 unidades.

Embora, por ora, o serviço da Starlink só esteja disponível no noroeste dos EUA, em partes do Canadá e no Reino Unido, e em algumas outras regiões, o mapa de cobertura continuará aumentando à medida que mais satélites de internet se juntarem à constelação. A Starlink tem o objetivo de fornecer cobertura de internet global super-rápida com latência muito baixa, que seria disponibilizada mesmo em áreas remotas e zonas rurais. A constelação de internet da SpaceX provavelmente precisará de pelo menos 10.000 satélites em órbita para fornecer cobertura para a maior parte do planeta.

Em 14 de março, às 10:01 GMT, a SpaceX lançou a 22ª remessa de outros 60 satélites de internet Starlink sobre seu foguete Falcon 9. A Starlink-21 aumentou para 1325 o número total de satélites Starlink lançados.

A primeira etapa da rede de satélites Starlink consiste em cinco carapaças orbitais. A primeira contará com 1.584 satélites orbitando a 550 km em planos inclinados a 53,0°. Essa é a carapaça que a SpaceX está preenchendo no momento, e a previsão é que esteja concluída até junho de 2021. Uma vez concluída, a primeira carapaça fornecerá cobertura de internet entre aproximadamente as latitudes 52° e -52°, que abrange cerca de 80% da superfície da Terra.

Em 11 de março, às 08:13 GMT, a SpaceX lançou o 21º lote de satélites de Internet Starlink. O foguete Falcon-9 carregando os satélites decolou do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Flórida, EUA.

O CEO Elon Musk, da SpaceX, afirmou que a velocidade de Internet da Starlink dobraria em 2021. Clientes participando do teste beta global da Starlink alegam ter velocidades de Internet de até 130 megabits por segundo. De acordo com Musk, a “velocidade dobrará para ~300 Mb/s e a latência cairá para ~20 ms ainda este ano”. Embora tal velocidade de Internet não seja sem precedentes, ela ainda é mais rápida do que a que muitas pessoas têm acesso.

Em 4 de março, às 08:24 GMT, a SpaceX lançou a 20ª remessa de satélites de internet Starlink. O lançamento da Starlink-17 foi adiado várias vezes devido a condições climáticas desfavoráveis, motivo pelo qual decolou após a Starlink-19. Agora, o número total de satélites Starlink lançados é de 1.205.

Cerca de três meses atrás, a SpaceX iniciou o teste beta público do Starlink, um serviço de internet por satélite que já é utilizado por mais de 10 mil clientes. Agora, a empresa está tomando medidas para expandir o beta público com a abertura de pedidos antecipados para clientes em potencial. Dependendo da sua região, as mensagens dos pedidos antecipados afirmam que a SpaceX está visando a cobertura na sua área para meados ao fim de 2021 ou 2022.

No dia 16 de fevereiro, às 03:59 GMT, foi lançado o 19º lote de satélites da Internet Starlink. Existem agora 1.145 satélites Starlink na órbita da Terra.

O Starlink está em um beta público limitado, mas um beta de lançamento mais amplo deve começar em cerca de três meses. A rede da Internet atualmente cobre apenas latitudes mais altas - entre 44 e 52 graus. No entanto, a SpaceX precisa de apenas 24 lançamentos no total para cobertura global. Considerando a produção atual da SpaceX e a taxa de lançamento, o Starlink terá cobertura global em meados de 2021. Esta previsão, porém, não inclui os pólos.

O empreendimento do projeto Starlink concluído deverá lucrar US $ 30-50 bilhões anualmente. Este lucro financiará principalmente o ambicioso programa Starship da SpaceX e Mars Base Alpha.

Em 4 de fevereiro, às 06:19 GMT, a SpaceX lançou a 18ª remessa de 60 satélites para a rede de banda larga da Starlink. Agora, o número total de satélites Starlink em órbita é de 1083.

Mais cedo, em 24 de janeiro, a empresa também lançou 243 veículos espaciais como parte da sua missão Transporter-1. De acordo com a SpaceX, missões como a Transporter proporcionarão “maior acesso ao espaço para operadores pequenos de satélites que buscam uma viagem confiável e acessível até a órbita”. Havia 133 veículos espaciais comerciais e governamentais nesse voo, além de 10 satélites Starlink. Com essa missão, a SpaceX quebrou o recorde mundial do maior número de satélites lançados por um único foguete.

Em 20 de janeiro, às 08:02 EST (13:02 GMT), a 17ª remessa de satélites Starlink foi lançada com sucesso na órbita terrestre. O foguete Falcon 9 carregando os satélites decolou do Complexo de Lançamento 39A no Kennedy Space Center, na Flórida (EUA). Essa missão aumentou o número total de satélites Starlink lançados para 1.013 unidades.

Enquanto isso, o serviço de internet Starlink está sendo disponibilizado para cada vez mais pessoas. Além de já estar presente no norte dos EUA e no Canadá, o Starlink foi recentemente autorizado no Reino Unido. Pessoas no RU que se inscreveram no teste beta público da SpaceX chamado de "Beta Melhor do que Nada" começaram a receber o kit do Starlink: o roteador e um terminal para conectar-se aos satélites. Em seu e-mail, Elon Musk disse que os usuários devem esperar velocidades de internet de 50 a 150 Mbps durante o teste beta.

No dia 24 de novembro, às 21:13 EST (ou 25 de novembro, 02:13 GMT), a SpaceX lançou o 16º lote de satélites de internet da Starlink. Com esse voo, a SpaceX alcançou dois grandes marcos: foi o 100º lançamento de um foguete Falcon 9 desde 2010 e o 7º lançamento do propulsor Falcon 9 B1049. O 7º voo do propulsor estabeleceu um novo recorde no programa de reutilização de foguetes da SpaceX. Depois de pousar com sucesso em uma balsa-drone, o B1049 será levado de volta a Porto Canaveral para ser usado novamente no próximo voo.

Em 24 de outubro, às 12h14 EDT (16h14 GMT), a SpaceX lançou o 15º lote de aproximadamente 60 satélites Starlink na órbita da Terra. O foguete Falcon 9, com novos satélites a bordo, decolou do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Estação da Força Aérea em Cabo Canaveral, na Flórida. Com esse voo, a SpaceX já terá lançado cerca de 900 satélites Starlink de uma rede global que, ao atingir sua meta, disponibilizará ao mundo todo uma internet de alta velocidade, a preços acessíveis. A empresa planeja lançar pelo menos 120 novos satélites a cada mês, para atingir essa meta.

Entretanto, alguns cientistas revelam ter dúvidas e preocupações com esse projeto ambicioso e sem precedentes. De acordo com o astrônomo Jonathan McDowell, até este momento, cerca de 3% de todos os satélites Starlink lançados podem ter fracassado, pois não estão mais se movendo em órbita. Esse índice de fracasso é normal, mas no caso de um conjunto tão grande de satélites, pode resultar na criação de lixo espacial, que pode colocar em risco outros satélites e, até mesmo, astronautas.

Em 18 de outubro, às 8h25 EDT (12h15 GMT), a SpaceX lançou mais 60 satélites de Internet ao espaço. Com este 14º lançamento, a empresa totalizou 835 satélites Starlink colocados em órbita, incluindo protótipos que não serão usados para serviços comerciais. Este lançamento marcou a 70ª missão bem-sucedida consecutiva da SpaceX.

A rede Starlink ainda está nos estágios iniciais. Os técnicos continuam testando e coletando os dados necessários. Em um protocolamento com a Federal Communications Commission datado de 13 de outubro, a SpaceX declarou que iniciou o teste beta da rede Starlink em vários estados dos EUA e que está fornecendo conectividade com a Internet para alunos ainda não atendidos em áreas rurais.

Em 6 de outubro de 2020, às 11:29 GMT, o foguete Falcon 9 foi lançado ao espaço com mais 60 satélites Starlink a bordo. Os satélites se juntarão a centenas de seus “pares” em uma órbita de 550 quilômetros (ou 341 milhas) de altitude. Anteriormente, o voo foi cancelado várias vezes por razões técnicas.

Crédito Texto:
Crédito de imagem:Vito Technology, Inc.